PERIGO

Caso de jovem desaparecida e abusada em Jundiaí vira alerta para pais

Esta semana, o desaparecimento de uma jovem de 13 anos mobilizou as redes sociais. Os pais contaram que a filha saiu de casa na segunda-feira (3) para ir à escola e não voltou. Na terça (4), eles pediram ajuda para encontrar a filha, que apareceu mais tarde naquele dia contando que havia sido abusada sexualmente após passar a noite na casa de amigos, no Jardim São Camilo.

O caso e a coragem dos pais da jovem em falar sobre o assunto virou um alerta para outros pais. Em contato com a reportagem, a mãe da vítima diz que vem recebendo ligações de pessoas de todo o país que se solidarizaram com o ocorrido. Segundo o padrasto da adolescente, ela combinou com colegas de cabular aulas na segunda, mas o plano foi por água abaixo quando a diretoria da escola descobriu e entrou em contato com os pais. “Não conseguiram falar conosco, então ela saiu da escola e começou a perambular pelos terminais porque não queria voltar para casa”, conta.

A adolescente teria se encontrado no terminal Cecap com o irmão de uma amiga com quem “costumava trocar uns beijos”. De lá, foram para a casa dele, no Jardim São Camilo. O irmão mais velho do adolescente teria chegado com bebida e maconha e aproveitou que a jovem estava passando mal para estuprá-la. “Chegamos a ligar para essa amiga, que tinha estudado com ela antes. Ela mentiu dizendo que minha filha não estava na casa dela”, conta a mãe.

Ela passou pelo Hospital Universitário, que constatou a violência sexual e lhe deu um coquetel de remédios para tomar nos próximos 28 dias. Agora, a Delegacia da Mulher de Jundiaí (DDM) está investigando o caso. Os pais se dizem indignados com o ocorrido e lamentam a má influência dos amigos da jovem. “Eu admito que sou uma mãe severa, já confisquei o celular dela por achar alguns comportamentos inapropriados. Mas sempre me preocupei em saber com quem ela anda, conhecer a família dos amigos”, conta. “Não foi a educação que demos.”

A psicanalista Margareth Arilha afirma que é comum adolescentes terem relações conflituosas com os pais. “Todo jovem se sente incompreendido”, diz. Ela recomenda, portanto, nutrir mais essa relação. “É mais frutífero gastar energia criando laços de cumplicidade do que tentando controlar o ambiente externo dos jovens.” A última estratégia, ela diz, não é eficaz. “Antes você podia dizer que um bairro era bom e outro perigoso. Hoje, os riscos estão em todos os lugares. Não existe território controlável”, afirma a especialista.

DELEGACIA DA MULHER
DDM

COMENTE

Loading Facebook Comments ...

Comentário Sobre: “Caso de jovem desaparecida e abusada em Jundiaí vira alerta para pais

  1. Muitos se adiantam em condenar a menina e ignoram os estupradores. Semelhante ao relato bíblico de uma mulher que foi salva do apedrejamento por Jesus. Condenam a mulher e escondem os criminosos. Nenhum erro pode justificar a violência. E homens que consideram que o corpo de uma mulher pode ser violado não deveriam ficar impunes.

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *