Opinião
ASSINE  |  ANUNCIE
Jundiaí, 21 de outubro de 2017
Colunas
Arquitetura comercial: sucesso do negócio - Por: Larissa Carbone

Arquitetura comercial: sucesso do negócio

© Jornal de Jundiaí
Atrair clientes para o seu negócio tornou-se uma arte muito especializada e até mesmo requisitada. A quantidade de estudos e informações necessárias que devem ser agregadas dentro de uma abordagem esquemática é grande, e pode ter início a partir de um projeto de arquitetura comercial aliada a uma equipe multidisciplinar.

O projeto de arquitetura comercial serve como uma ferramenta de tomada de decisões que passa por inúmeras questões, e deve ser considerado como item indispensável para o planejamento de um novo empreendimento ou para a reestruturação de um negócio existente e em funcionamento.

O plano de negócio que aborda questões financeiras e administrativas interfere diretamente no projeto de arquitetura e pode ser o sucesso de uma nova empreitada.

A escolha do ponto, o tipo de público que deseja ser alcançado, o faturamento do negócio, a exposição do produto, o estoque necessário, a vitrine que deve ser o chamariz do cliente, a quantidade de pessoas que deve ser atendida no local e como devem ser atendidas, além do tipo de gestão para administrar a rotina diária, conduzem o projeto do espaço a ser criado.

A experiência do consumidor deve proporcionar a circunstância (ser o gatilho) do ato da compra do produto ou serviço. Quem nunca entrou em uma loja, bar ou restaurante, e comprou um produto ou serviço somente pela experiência de estar no local que proporcionou diversas sensações?

A vitrine atrativa, a temperatura ideal, cores adequadas ao produto oferecido, a iluminação direcionada do ambiente, o conforto do espaço, com a música ideal, somados a beleza inovadora e bem planejada da comunicação visual e identidade da marca totalmente em sintonia, refletem na experiência do consumidor.

O projeto neste sentido materializa todas as intenções de um empresário e torna possível um investimento calculado e seguro, pois as complexidades e a competitividade de mercado exigem que o empreendimento seja inovador e possa ser reinventado sempre a fim de gerar uma rentabilidade maior, com a diferenciação do negócio permitindo a fidelização do cliente.

A arquitetura como ponto de início de um negócio, que deve ter a capacidade de inovação com potencial de diferenciação do espaço e das ações criadas a partir dele, cria condições para que a implementação do plano de negócio seja efetivado com a melhoria da gestão e redução de custos que irão promover a geração de lucro: ideal de todo e qualquer empresário.

* LARISSA CARBONE é arquiteta e urbanista. Membro do IAB Jundiaí. http://iabjundiai.org.br / http://larissacarbonearquitetura.com.br

Comente esta matéria 0 comentários
Seja o primeiro a comentar esta matéria!
Seu telefone e e-mail NÃO serão publicados!
* Campos obrigatórios! (caracteres restantes: 1000)
Li e estou de acordo com os termos e condições de uso do portal.
Outros artigos do colunista LISTAR TODOS
14/10 -  Já é hora
30/09 -  Cidades antes e depois das Olimpíadas
16/09 -  Arquitetura e as catástrofes naturais
02/09 -  Espaços corporativos; casas de trabalhar
05/08 -  Espaço para pessoas
22/07 -  Inovação ao projetar
08/07 -  O que é ser sustentável?
24/06 -  O que é essencial na arquitetura?
10/06 -  Morar no Centro
27/05 -  Construção de cidades sustentáveis
JORNAL DE JUNDIAÍ
política de privacidade anuncie conosco
editorias



Empregos e Concursos
Especiais


Motor
Mundo
Opinião
Polícia
Política
Repórter JJ
Turismo
cidades
Jundiaí
Região
entretenimento

Cultura & Lazer
Théo Faz & Acontece
esportes
tv jj


Na Ponta da Língua
Notícias
Periscope
Salão Duas Rodas

grupo jj
Fale Conosco
Repórter JJ
Quem Somos
Expediente
Anuncie
Assine o Jornal
Gráfica JJ
Termo e
Condições de Uso
2014 © Jornal de Jundiaí - Todos os direitos reservados.
Acesse:
Projeto Gráfico: Marcelo Savoy | Desenvolvimento: //sithes.com