APCA

Peça ‘É Tudo Família’ vence na categoria texto adaptado

A peça ‘É tudo Família’, da Catarsis Produções, com atores jundiaienses, foi a vencedora do prêmio melhor espetáculo de texto adaptado realizado pela Associação Paulista de Críticos de Artes (APCA). A peça foi baseada no livro “É tudo família!” de Alexandra Maxeiner, publicado por Klett Kinderbuch, Leipzig/Alemanha.

A APCA escolheu os melhores de 2018 nas categorias Arquitetura, Artes Visuais, Cinema, Dança, Literatura, Música Popular, Rádio, Teatro, Teatro Infantil e Televisão. No elenco, Aline Volpi, Ana Paula Castro, Marcelo Peroni, e Vladimir Camargo. Segundo Aline a escolha da peça pela associação é um incentivo para o grupo continuar escolhendo temas importantes para encenar. “Foi surpreendente para nós. Claro que a expectativa é que o novo trabalho seja bem aceito e obtenha o reconhecimento do público e da crítica especializada. Esta é a situação ideal. E com esta peça isto está acontecendo”, diz Aline Volpi.

E espera que venha mais. “Estes prêmios coroam nosso trabalho. Nos dão energia pra continuar e “poder”, no sentido mais amplo da palavra, mostrar a importância e a força transformadora que a arte tem e consegue exercer numa sociedade.”
E outros prêmios podem chegar. A peça ainda concorre ao Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem nas categorias: melhor espetáculo infantil; direção; autoria de texto adaptado; cenografia; iluminação; trilha musical original e prêmio sustentabilidade. A escolha será no início de 2019.

NA TORCIDA
Os jurados para este prêmio se reuniram para escolher os pré-finalistas do segundo semestre entre os espetáculos em cartaz em São Paulo de julho a dezembro. Ao todo foram avaliados 26 espetáculos que estrearam em São Paulo no período de 1.º de julho a 30 de novembro de 2017 e cumpriram temporada de, no mínimo, 12 apresentações.

Os mais votados no segundo semestre foram “Carmen – A Grande Pequena Notável (12 indicações)”; “Pedro e Quim”, da Cia. Paideia, e “Os 3 Mundos”, uma produção do Sesi-SP, ambos com 8 indicações cada. Em seguida, com 7 indicações cada estão “É Tudo Família”, do Catarsis, e “Annexo – “Um Diário de Anne Frank”, da Cia. Dom Caixote.

No início do ano que vem, os jurados tornam a se reunir para definir os três finalistas em cada um das 18 categorias do Prêmio. Essa lista de cinco indicados do segundo semestre se une à lista de cinco indicados do primeiro semestre e, assim, dentre os 10 indicados do ano em cada categoria, os jurados terão de escolher apenas 3 para disputarem o Prêmio em festa a ser realizada em 2019 e ainda sem data definida. (Simone de Oliveira)

COMENTE

Loading Facebook Comments ...

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *