DATA ESPECIAL

Consumidor deve gastar R$ 165, em média, no Dia dos Namorados

Mais de 60% dos brasileiros devem ir às lojas em busca de presentes para o próximo Dia dos Namorados, segundo levantamento feito pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas). A expectativa é que a data injete aproximadamente R$ 15,6 bilhões na economia. Em São Paulo, a Associação Comercial de São Paulo, acredita que as vendas podem crescer entre 2% e 5% este ano, comparado a 2017.

O movimento dos shoppings também deve crescer. Segundo pesquisa da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), a expectativa dos lojistas é que o gasto médio fique entre R$ 75,00 e R$ 100,00. A pesquisa da SPC e CNDL aponta que a maior parte (36%) dos entrevistados deve gastar a mesma quantia que no ano passado, enquanto 21% vão desembolsar mais e 17% pretendem diminuir o valor gasto. Em média, o consumidor deve gastar R$ 166,87 com os presentes. O valor aumenta para R$ 225,18 entre as pessoas das classes A e B. De acordo com a pesquisa, 25% dos entrevistados disseram não saber quanto irão gastar.

LEIA TAMBÉM: Por Dia dos Namorados, comércio fica aberto até mais tarde no sábado (9) e segunda-feira (11)

Os endividados também planejam comprar presentes. Segundo o levantamento, 29% dos que pretendem comprar presentes estão com contas em atraso. Três em cada dez entre os que pretendem comprar presentes (29%) revelam que irão às compras mesmo possuindo contas em atraso atualmente. Levando em conta os consumidores das classes C, D e E, esse número sobe para 33%. Além disso, 8% deixarão de pagar alguma conta para comprar o presente.

De acordo com a SPC e a CNDL, pesquisa foi realizada por meio de entrevistas com 932 casos em um primeiro levantamento para identificar o porcentual de pessoas com intenção de comprar presentes no Dia dos Namorados. Em seguida, continuaram a responder o questionário 602 casos de consumidores que tinham a intenção de comprar presente no Dia dos Namorados este ano. As margens de erro, respectivamente, são de 3,2 e 3,9 pontos porcentuais.

ECONÔMICOS
Economizar dinheiro é o principal motivo apontado por quem não irá comprar presente. Segundo pesquisa feita com 1.683 usuários do aplicativo Guia de Bolso, 35% não pretendem ter gastos no próximo dia 12.

O coordenador do MBA em Gestão Financeira da FGV, Ricardo Teixeira afirma que dá para ficar no meio do caminho. “Não é para deixar de comemorar, mas faça uma seleção melhor do que é possível comprar. Lembre-se que o pagamento parcelado pode prejudicar o pagamento de contas no futuro”, afirma.

“Existem lugares gratuitos na sua cidade que podem ser usados para um momento romântico a dois. Poupar dinheiro em conjunto tem mais potencial de proporcionar felicidade ao casal”, diz o professor da FGV.

COMENTE

Loading Facebook Comments ...

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *