Home
Comportamento
Saúde & Beleza
Gastronomia
Colunistas
10/07/2017 09h17 - SAÚDE
Pele exige cuidados especiais no inverno
Das Agências
redacao@jj.com.br
© Divulgação
Quem acha que a atenção e cuidados com a pele devem ser enfatizados somente no verão está muito enganado! Durante o inverno, a umidade do ar baixa e as temperaturas mais frias levam à diminuição na transpiração corporal. Além disso, é costume aumentar a temperatura da água nos banhos, o que faz com que a pele fique muito mais seca.

Por conta disso, neste período mais frio do ano, algumas doenças de pele podem aparecer. Por exemplo:

Dermatite seborreica: ocorre principalmente nas regiões que contenham pelos, como face e couro cabeludo. É uma descamação da pele causada pela desregulação sebácea. As manifestações mais frequentes são caracterizadas por intensa produção de oleosidade, descamação e prurido (coceira). A descamação pode causar caspa, que varia desde fina até a formação de grandes crostas aderidas ao couro cabeludo, a seborreia. A coceira, que pode ser intensa, é um sintoma frequente nesta região e também pode estar presente com menor intensidade nas outras localizações.

Dermatite atópica: quem sofre de atopia pode apresentar também asma ou rinite alérgica. O principal sintoma é a coceira, que pode começar antes mesmo das lesões cutâneas se manifestarem e pode atingir a face, tronco e membros. Na infância, as lesões são avermelhadas e escamam. Nos adolescentes e adultos, as lesões localizam-se preferencialmente nas áreas de dobras da pele, como a região posterior dos joelhos, pescoço e dobras dos braços. A pele desses locais torna-se mais grossa, áspera e escurecida.

Psoríase: doença da pele relativamente comum, crônica e não contagiosa e que atinge igualmente homens e mulheres, principalmente na faixa etária entre 20 e 40 anos. Fenômenos emocionais são frequentemente relacionados com o seu surgimento, provavelmente atuando como fatores desencadeantes de uma predisposição genética para a doença. Mas a real causa da psoríase ainda é desconhecida.

Ictiose vulgar: aparece após o nascimento, geralmente no primeiro ano de vida. Pode apresentar apenas ressecamento da pele e descamação fina ou intensa de aspecto geométrico. As áreas mais atingidas são os membros, podendo afetar também a face e o couro cabeludo. A doença tende a regredir ou a ter seus sintomas minimizados com o passar dos anos.

 

Para manter a pele saudável, confira algumas dicas:

- Beba no mínimo 2 litros de água.

- Evite banhos quentes e muito demorados. A água quente retira a oleosidade natural da pele.

- Evite se ensaboar demais e usar buchas, que também contribuem para alterar a composição do manto hidrolipídico (hidratante natural produzido pelo organismo) que protege a pele.

- Use o hidratante logo após o banho. O vapor ajuda na absorção do produto.

- Se a pele for oleosa, evite hidratante comum no rosto, use oil-free.

- Os lábios também costumam ressecar muito no inverno. Pode ser usado manteiga de cacau ou batons hidratantes.

- Os cremes à base de silicone, alantoína, ureia, pantenol e cerâmidas conferem proteção contra ressecamento e aspereza.

- Use filtro solar diariamente.

Outras notícias sobre SAÚDE & BELEZA LISTAR TODAS
20/07 -  O que o formato das suas unhas dizem sobre você?
17/07 -  Quelóide: identificando e tratando
19/06 -  Entenda os corrimentos e infecções ginecológicas
19/06 -  Aprenda a interpretar as principais substâncias dos cremes
19/06 -  5 hábitos para o diabético ter qualidade de vida
05/06 -  Cosméticos x lifting facial: o que é mais eficaz?
05/06 -  Artigo: Exercícios físicos, as dores e o frio
30/05 -  Uso de óculos escuros ajuda na prevenção da doença
30/05 -  Dermatologistas condenam tatuagem para cobrir olheiras
26/05 -  Rugas verticais na testa são influenciadas pela posição de dormir
Colunistas
Comportamento
Gastronomia
Saúde & Beleza
2014 © Jornal de Jundiaí - Todos os direitos reservados.
Acesse:
Projeto Gráfico: Marcelo Savoy | Desenvolvimento: //sithes.com