Colunas Top
Entrevistas
Moda
Turismo
15/03/2017 06h00 - MULHERES
As mulheres do século XXI, seus sonhos, suas ideias e desejos
Luciana Alves
lalves@jj.com.br
© Alexandre Martins
Quais são os sonhos e projetos das mulheres no século XXI? O que querem? O que pensam sobre amor, família, profissão, vida sexual? Será que as opiniões mudam muito com o passar dos anos? O assunto é complexo, claro, mas para tentar compreender um pouco mais sobre este universo feminino tão cantado em verso e prosa, entrevistamos três mulheres de estilos de vida e idades diferentes: na faixa dos 20, 30, 40 e 50 anos; confira.

Mikaeri – quase 20 anos

Mikaeri Ohana Estevam Candido fará 20 anos em julho, mas apresenta bastante maturidade diante de muitas jovens de sua geração. A programadora pleno está cursando Análise e Desenvolvimento de Sistemas e tornou-se voluntária da ONG Sonhar Acordado, de Jundiaí, aos 16 anos. Além de gostar de ler, ouvir música, assistir filmes e séries, sair com família o namorado e com os amigos e praticar exercícios, ela também sempre se interessa em ajudar o próximo.

Para o futuro, conta que seus planos são crescer e evoluir profissionalmente na área que atua e gosta de trabalhar (informática e tecnologia). “Quero viajar pelo Brasil e para o exterior para adquirir novas experiências, conhecer novas culturas e paisagens, além de compartilhar minha vida casando e construindo uma família ao lado de meu namorado. E, quando meus pais atingirem uma idade avançada, poder cuidar deles assim como cuidaram de mim”, prevê. Questionada sobre o que lhe motiva, ela é direta: “Aprender coisas novas e crescer com isso todos os dias, além de fazer ações que possam tornar o dia de alguém mais feliz”, diz a jovem.

AmorO amor é fundamental na vida de qualquer ser humano. Desde o amor dos pais, que é o primeiro ao qual temos contato e que continua conosco pela vida inteira. O amor nos estimula e dá forças pra seguir em frente não importando as dificuldades que apareçam. O amor da paixão, com quem partilhamos toda uma vida e escolhemos para compartilhar o caminho conosco, é um amor que nos tira risos bobos e dá mais vontade de viver o melhor que o mundo pode oferecer, acendendo uma chama que por tempos esteve apagada nos nossos corações e que só de ver a pessoa se acende com força absurda. Tem também o amor pelos animais que são seres tão puros e cheios de amor e carinho para dar, de grandiosidade gigantesca e que são feito anjos.

Família - A família nos prepara para enfrentar as dificuldades e está presente ajudando a superar todas as barreiras que encontramos. Não sei o que seria de mim hoje sem minha família, sem o carinho que me deram, o amor com que me abraçaram desde que vim ao mundo e tudo o que me ensinaram e que me fizeram ser o que sou hoje.

ProfissãoA profissão ocupa um grande espaço por ser algo que é a base de nosso dia a dia e que passamos muito tempo de nossa vida nos dedicando. Por isso, acredito que devemos dedicar esse tempo fazendo algo que gostamos e que possamos evoluir. Algo que nos desafie diariamente e que nos faça levantar da cama felizes ao ouvir o despertador tocar para o começo de um novo dia.

SexualidadeA mulher é um ser muito forte e, ao mesmo tempo, de grande sensibilidade. Por isso, acredito que ela deve ser valorizada e não vista apenas como um objeto sexual. Sua vida sexual deve ser respeitada e sua beleza e vestimentas - como comprimento da roupa que usa - não devem ser motivos para qualquer tipo de assédio ou julgamento. É algo muito íntimo e pessoal, e que cada uma deve liderar da forma que melhor lhe convém, pois cada mulher tem uma história e seus motivos, que muitas vezes não são fáceis de serem superados.

…………………...

Fernanda – 32 anos

Aos 32 anos Fernanda Lima Marcansolo é uma apaixonada pela dança. Formada em Nutrição com pós-graduação em Dança e Consciência Corporal, é professora de balé e jazz. “Trabalhei com nutrição um período bem pequeno, foi quando a vocação falou mais alto e a dança me chamou. Hoje trabalho como professora de balé clássico e jazz no Grêmio Jundiaí e na Cia Danser”, conta ela que namora há 8 anos e quer ter sua família.

Amor - Sou solteira, mais estou com meu noivo Fábio à quase 8 anos. Engraçado que nunca achei que encontraria alguém para dividir a vida. Até que ele apareceu. Ele é meu lado calmo, tímido, traz calmaria para a minha vida agitada e me respeita como ninguém. Se eu pudesse destacar algo que considero de suma importância em um relacionamento seria o respeito. Sem isso não tem como construir uma relação saudável.

Família - Não tenho filhos, mais quero muito ter. Na verdade gostaria de ter 5, mais já fico super feliz com dois. Como lido com crianças, sei o tamanho da responsabilidade de se criar uma criança nos dias de hoje. Tenho uma sobrinha Alice que é o amor da minha vida. Já estou treinando um pouquinho com ela.

Profissão - Considero-me uma pessoa privilegiada pois trabalho com que realmente amo. Eu vivo a dança 24 horas por dia, seja em uma música que toca na rádio, em uma pessoa andando na rua (já imagino algum movimento) ou até conversando. Sempre aconselho minhas alunas a trabalharem com aquilo que realmente faz o coração delas bater mais forte. E quando elas me perguntam: Dança dá dinheiro… Respondo: o que dá dinheiro é mãe e pai, nós temos que correr atrás. E é isso que eu faço.

Sexualidade -  Fator fundamental para um relacionamento saudável. É papel de ambos fazer o que estiver ao alcance para não perder a chama, a admiração, o tesão... Respeito todas as formas de amor e de prazer desde que os dois estejam em um comum acordo.

……………

Cristiane – 45 anos

Aos 45 anos Cristiane Gomes chegou ao topo da carreira profissional sem abrir mão da família. Casada há 20 anos e mãe de um menino de 11, ela nunca parou de estudar e foi subindo na carreira que escolheu na área de tecnologia. Formada em matemática com pós Graduação em Gestão de Projetos, MBA Internacional em Business e mestrado em Engenharia de Produção, hoje ela é a diretora-presidente de uma grande empresa.

A vida profissional começou aos 15 anos como professora de datilografia, depois digitadora, professora de computação, programadora, analista de sistemas e coordenadora de implantação de projetos em vários segmentos da indústria durante 9 anos em uma empresa de consultoria. “Depois iniciei no Grupo do qual faço parte até hoje, há 19 anos. Iniciei como terceirizada fazendo a coordenação de um contrato de serviços de tecnologia para uma empresa do Grupo. Fui convidada a fazer parte da empresa em 2003 como gerente onde atuei na implantação de diversas mudanças nas estruturas organizacionais do grupo que hoje conta com mais de 25 empresas no ramo de infraestrutura: mobilidade urbana, rodovias e aeroportos. Fui promovida para presidente de uma das empresas do grupo que atende a todas as demais no ramo de tecnologia”, explica.

A empresa que ela dirige atua no Brasil nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Bahia, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal e ainda na América Latina em Costa Rica, Equador e Curaçao, além dos principais estados dos EUA. Atende mais de 25 empresas e administra um montante da ordem de mais de R$ 500 milhões por ano em tecnologia e automação.

Profissão- Realizada com o crescimento profissional alcançado com muito esforço, superação, garra e determinação. Muito, mas muito estudo sempre. Em constante busca de aprendizado. Nunca parei de estudar. Também fui professora universitária por mais de cinco anos para cursos de sistemas, engenharia e administração. Foi realmente uma experiência riquíssima que espero retomar no futuro.

Amor - Alicerce para todas as relações, impulso para continuar mesmo diante das barreiras. Amar é ceder, perdoar, servir, aprender a reaprender. Amor é a pedra fundamental da família e com Deus é tudo aquilo que podemos fazer para que o mundo seja melhor!

Família - Significa meu porto seguro, um colo e um abraço apertado em qualquer momento. Nos dias difíceis e tristes, nas palavras de ânimo quando tudo parece afundar, sorrisos que me acompanham nas lembranças durante o dia e que me recebem todas as noites. Meu pai, meu braço direito e esquerdo, pronto para qualquer ajuda e socorro. Meus amados esposo e filho, sem eles, não seria o que sou hoje.
Somos muito unidos, adoramos ficar em casa tanto quanto adoramos viajar, aproveitamos cada espacinho do ano para conhecer novos lugares, experimentar novas culturas, pegar ônibus, metrô, ir a museus, comer pratos tradicionais.

Sexualidade - Nesta fase mais madura da vida, com muitos afazeres e responsabilidades, menos tempo e, em busca sempre de algo que me faça feliz, a sexualidade é sinônimo de parceria, companheirismo, carinho... uma palavra especial mesmo há quilômetros de distância. É o entender o momento do outro, curtir juntinhos, e viver cada momento com intensidade em busca da felicidade comum. Por fim, mesmo sendo uma pessoa extremamente autoexigente, venho dia a dia tentando não levar a vida tão a sério, buscando viver de maneira mais leve sem tantas exigências: tarefa difícil para mim.
…………….

Luzeni – 50 anos

Mulher forte e decidida, Luzeni Martins de Carvalho comemorou seus 50 anos em janeiro deste ano. Depois de se separar de um casamento de muitos anos, foi estudar e se formou em Técnico em Podologia no ano de 2004 e desde então atua nesta área. “Comecei a trabalhar como babá aos 8 anos de idade; trabalhei em algumas empresas, dei aulas de balé e jazz, atualmente sou podóloga na Podoclin”, conta. Divorciada, é mãe de Cindy, 25 anos, Renan, 21 anos e Greicy, 19.

No tempo livre, ela conta que adora ler sobre filosofia, literatura e história. “Flerto com a escrita vez ou outra. Faço aulas de balé clássico e jazz”.

AmorAmor é vida, é Deus, é mãe, são os filhos. É solicitude que entorpece a alma, se coloca a disposição do outro, é um sentido amplo de acolhimento, digo de maneira geral para com a vida e a proporção das necessidades de se fazer coisas que nos transportem em ser e não ter. Ser o amor é estar presente quando o outro pedir colo, um abraço, um ombro.

Acho mais fácil sentir o amor, ser o amor, do que falar do amor. Como poetizou Camões: “É nunca contentar-se de contente; é um cuidar que se ganha em se perder”. Essa definição diz tudo sobre o amor, mas ainda não encontrei um amor terreno maior, que amor de mãe.

Família - É determinante para o crescimento pessoal. É construção voltada para pequenos detalhes com os filhos. Esse vínculo consiste em compreender a sensibilidade de se enquadrar e enquadrar o outro no seu mundo. Falar de família para mim é falar de mãe, irmãos e filhos.

Essa acessibilidade derivada dos conhecimentos possíveis em adquirir uma consciência adequada para o momento do corte do cordão umbilical nos arrebata, numa identificação para ajustar a situação de adaptação e não nos impedir de estar aberto ao mundo, sendo um facilitador da relação com os demais, além do seu entorno familiar.

Na família que se constrói bons adultos; na sabedoria, virtude e dignidade, que serão distribuídos nos locais por onde forem. Quando o sentimento de respeito à família é exercido, a tendência desse mesmo acontecimento fora dela é praticamente concebido.

ProfissãoA escolha da profissão é uma mola de impulso para a autonomia. De um modo geral, as mulheres estão cada vez mais se encontrando no mundo no qual raramente se via. Embora muitas ainda se encontrem em casa para cuidar dos filhos, outras estão em condição de ser o muro de arrimo da casa.  

Foi o tempo em que lugar de mulher é na cozinha, ou servindo filhos e marido o tempo todo. Não que eu seja contra, sou a favor das escolhas que nos felicitem. Hoje a dinâmica é outra, haja vista, as mudanças que propiciaram às mulheres estar em cargos apenas exercidos por homens.  

Alguns direitos adquiridos a duras penas, fazem com que estejamos num lugar no qual nos permita essa autonomia e realização.

Sexualidade - Essa é a idade da felicidade, é pura explosão, é estar com dezoito anos com responsabilidade, madura e segura de si, é o contraponto da adolescência. Imagino que não temos muito tempo de libido aflorada, mas o hoje é o melhor dia para ser vivido. A intensidade da vida está no sentir, que nos transforma conhecedores dos nossos desejos e corpo. Você não se prende em criar expectativas, você é a expectativa para a vida.

Como diria Carl Jung: “Essa é a segunda metade da vida”; filhos criados, momento de assumir a vida livremente, focando para si, na leveza do não se preocupar tanto com as opiniões alheias.

Observo e sinto que o que vem a mim deve se enquadrar no meu mundo; consiste em compreender a sensibilidade de uma relação numa sincronização absoluta e única. Intensidade derivada do conhecimento de si dá sentido nesse estado de graça, com a nossa vida.

TAGS · MULHERES · IDADES · 20 · 30 · 40 · 50 · AMOR · FAMILIA · TRABALHO · SEXUALIDADE ·
Outras notícias sobre ENTREVISTAS LISTAR TODAS
05/05 -  Sebastiana, a matriarca da família Gebram
05/05 -  Vanessa vive a experiência de interpretar uma diva do teatro
05/05 -  Curiosidades sobre a peça
05/05 -  Mãe, amor incondicional em qualquer época ou cultura
05/05 -  Os segredos de Leo Young
05/05 -  Mamãe em boa forma
05/05 -  Negra Li: “A maternidade me tornou um ser humano melhor”
15/03 -  Para Andréa a felicidade está na simplicidade
15/03 -  Costanza Pascolato: ícone fashion e referência de estilo
15/03 -  “Felicidade para mim é poder contribuir com a felicidade das pessoas”
Colunas Top
Entrevistas
Moda
Turismo
2014 © Jornal de Jundiaí - Todos os direitos reservados.
Acesse:
Projeto Gráfico: Marcelo Savoy | Desenvolvimento: //sithes.com