REDE MUNICIPAL

UPA do Vetor Oeste e Clínica da Família são entregues

“De um prédio oco deixado pela administração anterior, sem reserva orçamentária para operacionalização e que abrigaria apenas um serviço, conseguimos com planejamento, organização e economia, colocar em funcionamento dois novos serviços de saúde que revolucionarão o atendimento na cidade. A Clínica da Família e a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA 24h) Vetor Oeste são resolutivas, com amplitude e de excelência. Modelos que serão estendidos para as demais regiões de Jundiaí”, detalhou o prefeito Luiz Fernando Machado, durante a inauguração dos serviços de atenção básica e de urgência e emergência, na manhã deste sábado (1º). A entrega foi a primeira e mais importante da programação de eventos pelos 363 anos de Jundiaí.

O prédio, com 2,5 mil metros quadrados, custou R$ 7,5 milhões, sendo R$ 2 milhões do Governo Federal, e oferecerá atendimento para mais de 140 mil pessoas na UPA Vetor Oeste e para 40 mil pessoas na Clínica da Família. Jundiaí arcará com a maior parte do custeio dos dois equipamentos, sendo estimado perto de R$ 20 milhões por ano. Para a UPA, a cidade desembolsará 90% do custo (valor de R$ 1.242.696,71/mês), já a Clínica da Família, que tem custo estimado em R$ 400 mil/mês, terá aporte de 20% do Governo Federal.

Os valores, segundo o prefeito, serão investimentos em qualidade de vida para a população. “O Vetor Oeste cresceu muito e é uma região distante do Centro, onde se concentram os equipamentos de saúde. Proporcionar resolutividade nestes bairros, próximo da casa das pessoas, reduz o deslocamento e facilita o acesso da população”, argumentou.

Funcionamento
A Clínica da Família tem resolutividade de até 80% e funcionará em modelo de Estratégia de Saúde da Família (ESF) – com oito equipes completas (médico, enfermeiros, técnicos, dentistas e agentes), prestando todos os serviços que fazem parte do atendimento das unidades básicas de saúde, com o incremento da oferta de exames de análises clínicas, ultrassom, raio-x e eletrocardiograma – inicia a operação a partir de amanhã (3), das 7h às 20h (de segunda a sexta-feira). São estimadas 4 mil consultas por mês no equipamento municipal.

Os usuários que poderão acessar o serviço de atenção básica são os referenciados da antiga UBS Novo Horizonte, ou seja, Novo Horizonte 1 e 2, Residencial Jundiaí 1 e 2, Almerinda Chaves e CDHU.  Já a UPA 24h Vetor Oeste iniciou o atendimento às 19h de ontem e funcionará de forma ininterrupta, para mais de 140 mil moradores de toda a região oeste (Almerinda, Eloy Chaves, Fazenda Grande, Medeiros, Novo Horizonte Retiro, Tulipas, Traviú e adjacentes), com consultas clínicas, pediátricas e ortopedista, especialidade não exigida no equipamento de Porte II, de 18 leitos e exames de análises clínicas, raio-x, ultrassom e eletrocardiograma. A estimativa é realizar 9 mil atendimentos médicos por mês e 10 mil procedimentos de enfermagem no período.

“Os benefícios do modelo adotado para os dois serviços complementares impactarão em toda a cidade, já que o incremento dos exames de análises clínicas (5.590), ultrassons (1 mil), raio-x (2 mil) e eletrocardiogramas (360) refletem na oferta geral da cidade. A população atendida nesses equipamentos não necessitará se deslocar para a região central para ter a sua demanda em saúde atendida”, explicou o gestor da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde, Tiago Texera, que ainda lembrou da disponibilidade de uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) no complexo, com o objetivo de reduzir o tempo resposta aos atendimentos dos atuais 30 minutos para estimados 8 minutos, redução de 73%.

O novo modelo de saúde, elaborado para a excelência no atendimento da população, conta ainda com os programas “Posso Ajudar”, para auxiliar o usuário esclarecendo dúvidas, desde a entrada até a saída do equipamento, e “Guardião da Saúde”, totem para que a população possa fazer sugestões, críticas, elogios além de possibilitar a classificação do atendimento recebido.

Satisfação
Dona Lindinalva dos Santos tem 93 anos e, desses, 45 vividos no Jardim Novo Horizonte. Ontem, estava feliz. Não somente por ter sido uma das homenageadas durante as entregas da Clínica da Família e da UPA Vetor Oeste e ter recebido uma placa das mãos do prefeito. “Esses dois serviços trarão muita alegria para nós. É uma vitória. Quando me mudei para cá, precisava andar a pé até o Traviú para ser atendida no postinho. Aqui não tinha nada. Agora temos a Clínica da Família e a UPA, que é quase um hospital. Tomara que os serviços sejam tão bons quanto os do Hospital São Vicente de Paulo”, comentou a idosa que passou, recentemente, por uma cirurgia no único hospital público de alta complexidade da cidade.

Viviane Ferreira da Silva Pavan, 37 anos, estava ansiosa para a inauguração dos serviços. Moradora do Novo Horizonte, faz parte das 40 mil pessoas referenciadas para o atendimento da Clínica da Família. “A população daqui é muito grande, por isso, ter serviços que façam todo o atendimento de uma vez facilita muito”, explicou ela, que tem filhos pequenos. Maria Lúcia de Santana, 58 anos, mora no Novo Horizonte 2 e fez questão de comparecer à solenidade de entrega. “Esperávamos há muito tempo por um serviço assim nessa região. Estamos muito longe do Centro. As urgências poderão ser atendidas aqui, sem precisar ir para o São Vicente”, detalhou.

COMENTE

Loading Facebook Comments ...

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *