TRÂNSITO

A cada dois dias, uma pessoa é atropelada nas ruas de Jundiaí

O Hospital de Caridade São Vicente de Paulo, de Jundiaí, atende, em média, 16 casos de atropelamentos por mês, cerca de quatro por semana, um a cada dois dias. Os números deste ano, segundo o hospital, são semelhantes ao do ano passado. Segundo o ortopedista Thiago Macota, as principais causas de atropelamento são relacionadas à desatenção ao atravessar a rua, associada ao uso do celular ou à embriaguez. “Os atendimentos mais frequentes são da faixa etária de 30 a 50 anos”, diz.

É o caso de uma das ocorrências registradas no último final de semana na cidade. Conforme noticiado pelo Jornal de Jundiaí, um homem de 40 anos foi vítima de atropelamento na rua Dr. Torres Neves, no Centro, na tarde de sábado (8). Segundo o boletim de ocorrência, ele perambulava embriagado pela rua quando foi atropelado por um ônibus. A vítima caiu no chão e sofreu lesões. O motorista prestou socorro e a vítima foi encaminhada ao hospital São Vicente.

De acordo com a assessoria de imprensa, fratura de ossos das pernas, braços e vértebra são as lesões mais comuns entre os pacientes atropelados atendidos no hospital. São vítimas como o jovem C.R.F., de 24 anos, que está internado no São Vicente desde que foi atropelado. Ele conta que estava pilotando sua moto quando tentou ultrapassar um caminhão e o motorista não o viu. Após a queda, acabou sendo atropelado. “Fraturei uma das vértebras, mas estou bem, me recuperando. Eu trabalho com a moto, então vai ser difícil parar de pilotar, mesmo depois do acidente”, diz.

Mortes
Segundo estatísticas do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito – Infosiga, que inclui acidentes nas vias e rodovias que passam pela cidade, de janeiro a julho deste ano ocorreram 7 mortes por atropelamento em Jundiaí. Já em 2017, foram 23 mortes o ano todo.

Nas estatísticas da Unidade de Mobilidade e Transporte, que contabiliza apenas os acidentes no sistema viário municipal, o número de mortes por atropelamento tem caído nos últimos anos. Em 2016 foram 10 vítimas fatais. No ano passado, foram 8. Este ano, de janeiro a julho, foram 4 mortes.

A unidade reforça que tem mantido esforços na questão de educação de trânsito e salienta que vem investindo na manutenção da sinalização da cidade, tendo implantado em 2017, 49.254 metros quadrados de sinalização horizontal e, neste ano, até o mês de agosto, 30.847 metros quadrados. Em 2017, foram instalados 12 novos semáforos na cidade, enquanto este ano foram outros quatro.

C.R.F., de 24 anos, está internado com inúmeras fraturas no Hospital São Vicente desde que foi atropelado por um motorista de caminhão, que não o viu após cair de sua motocicleta | Foto: Rui Carlos

COMENTE

Loading Facebook Comments ...

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *