EM JUNDIAÍ

Entidades de atendimento a surdos têm esperança em Michelle

O empenho em ajudar pessoas com deficiência auditiva, através do Ministério de Surdos e Mudos da Igreja Batista Atitude, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, atuando como intérprete de Libras e defendendo essa bandeira, chamou atenção de diversas entidades em relação à futura primeira-dama Michelle Bolsonaro, durante toda a campanha do marido, Jair Bolsonaro.

Em Jundiaí, a Ateal (Associação Terapêutica de Estimulação Auditiva e Linguagem), que atua diretamente com pacientes da cidade e também de 18 municípios da região, com capacidade para atender 3.850 pessoas e fazer 19 mil procedimentos por mês, afirma que se trata de uma entidade apartidária. “No entanto, estamos atentos às propostas colocadas e aos compromissos assumidos pelo novo presidente em prol da comunidade surda. Aguardamos com esperança que os objetivos sejam alcançados. De qualquer forma, a visibilidade que tem sido dada à causa contribui para uma maior consciência social voltada à acessibilidade”, informa a nota de imprensa.

A assessoria da Ateal ainda complementa que a entidade está criando um espaço para acompanhar e debater os 17 compromissos assinados por Jair Bolsonaro e toda a comunidade surda está convidada a debater. “Os interessados podem encaminhar um e-mail para ateal@org.com.br para participar”, resume.

A Associação e Clube dos Surdos de Jundiaí, que funciona na cidade há 47 anos, recebe, por dia, cerca 60 pessoas, entre ouvintes, surdos, professores, estagiários e visitantes, e atua para promover o conhecimento de Libras, em prol da inclusão.

Segundo o vice-presidente da entidade, Claudio Camilio Maroto, o fato de Michelle Bolsonaro ter fluência em Libras e ser envolvida na comunidade surda fez com que aflorasse nas pessoas a visibilidade pela causa. “Isso provoca na sociedade um desejo e o interesse em aprender a segunda língua oficial e mais praticada no país, depois da língua portuguesa. Espero que a presença de Michelle Bolsonaro traga benefícios para esse público e, principalmente, o conhecimento de Libras seja inserido na grade escolar”, ressalta.

Já o presidente da Associação e Clube dos Surdos de Jundiaí, João Batista Gaudêncio, de 36 anos, que frequenta a entidade desde 2009, através do intérprete Claudio Camilio, afirmou que o grande desafio deste público é conseguir se comunicar. “Desde cedo os pais precisam abrir a mente e trazer seus filhos para associações como o Clube dos Surdos, estimulando a cultura, o esporte e ensinando a comunicação por Libras, afinal ainda existem poucos intérpretes no país”, comenta.

Sobre a campanha de Jair Bolsonaro e a utilização de intérpretes de Libras, motivada pelo exemplo de Michelle Bolsonaro, João acredita que a sociedade se atentou para o público surdo. “A esperança sinceramente aumentou. Afinal, a visibilidade já foi muito positiva e agora temos que aguardar os próximos passos do governo em prol dos surdos”, considera.

Já o diretor de esportes da Associação e Clube dos Surdos de Jundiaí, Otávio Stella de Oliveira, de 20 anos, foi entrevistado com a utilização do intérprete (Claudio Camilio). Ele destacou que está na entidade há quatro anos e disse que a maioria dos frequentadores da associação votou em Jair Bolsonaro, devido ao trabalho desenvolvido por Michelle Bolsonaro, em prol dos surdos, aliado às demais propostas de governo. “A maioria dos frequentadores da entidade visualizou que a escolha em Bolsonaro seria mais positiva, por conta da atuação de Michelle, mas também pelo combate à criminalidade”, considera.

SERVIÇOS

A Ateal está localizada na avenida Antônio Frederico Ozanam, 6561, na Vila Rafael de Oliveira. Mais informações pelo telefone (11) 4523-4110.

Já a Associação e Clube dos Surdos de Jundiaí encontra-se na rua São Jorge, 28, no Centro. Telefone (11) 3395-9171.

 

 

 

 

COMENTE

Loading Facebook Comments ...

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *