TENDÊNCIA

Motoboys autônomos criam ‘buzinaço da pizza’ na cidade

Se a espera pelo delivery da pizza aumenta a fome, agora a redonda chega ao cliente antes mesmo de ele pedir. A nova febre em Jundiaí e outras cidades da Região são pizzas já prontas, de dois sabores, vendidas de porta em porta por motoboys, que anunciam sua chegada com “buzinaços”, roncos de motor e força no gogó.

Produzidas com massa fina, pouco recheio e sabores simples, o preço fica convidativo: R$ 10. A maior parte dos compradores são motoboys autônomos, que revendem a pizza por preços que variam de R$ 15 a R$ 20 nos mais diversos bairros da cidade. Como a venda é feita de forma independente, a pizzaria não corre o risco de sair no prejuízo. Nem o motoboy, que raramente fica com pizza sobrando na garupa.

Pedro Henrique da Silva, 26 anos, sempre sai da pizzaria com 10, 15 pizzas na mochila térmica. Em pouco mais de 1h, ele vende tudo e consegue um bom dinheiro. “Nunca tiro menos de R$ 100 por dia”, conta. Nos finais de semana, quando a demanda é maior, ele volta para casa com quase o dobro do valor. Pedro percorre bairros como o Jardim do Lago, Caxambu e Jardim Estádio quase que diariamente, mas os motoboys estão por toda a cidade.

Franquia
No Jardim Tulipas, a pizzaria Lilika’s começou a vender para os motoboys há cerca de dois anos. “A gente quase fechou por falta de movimento e as pizzas que mais saíam eram as de R$ 10”, conta Jaqueline Alves de Souza, dona do estabelecimento. Hoje, a Lilika’s possui três outras unidades na Região: em Louveira, Várzea Paulista e Campo Limpo.

São mais de 120 motoboys revendendo suas pizzas – só na loja do Tulipas, 300 pizzas por dia são vendidas para cerca de 28 motoqueiros. A empresa ainda vende pizzas no balcão, com sabores mais elaborados e bem recheadas – por cerca de R$ 30 a R$ 40 -, mas o carro-chefe continua sendo a venda dos sabores simples para os motoboys.
Modelo de negócio
Em Várzea Paulista, a Rap10 já nasceu pensando neste modelo de negócio. Jhonathan Bagini, de 25 anos, abriu a pizzaria há cerca de um ano, depois de ver os motoboys vendendo de porta em porta. “Quem mais compra para revender são os motoboys, mas tem muita gente que faz isso de carro. Já vi até Kombi vendendo”, conta. Durante a semana, ele produz cerca de 100 pizzas por dia e chega a quadruplicar a produção no final de semana. Agora, ele quer expandir o negócio para atender os clientes na loja e vender seus sabores mais elaborados.

Foto: Rui Carlos

COMENTE

Loading Facebook Comments ...

Comentário Sobre: “Motoboys autônomos criam ‘buzinaço da pizza’ na cidade

  1. Mais uma encheção de saco!!
    Gostaria de saber quem compra uma pizza que não sabe onde é feita, quem manuseou o alimento, se o lugar onde é feita é limpo, etc etc etc.

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *