BRASIL
Jundiaí, 28 de maio de 2017
10/01/2017 17h46 - VERBA

Ministério da Saúde libera R$ 234 milhões para o estado de São Paulo

Da Agência Brasil
redacao@jj.com.br
© Agência Brasil
Ministro pediu o esforço de todos na luta contra o mosquito Aedes aegypti, transmissor da chikungunya, zika, dengue e febre amarela
O ministro da Saúde, Ricardo Barros, anunciou hoje (10), na sede do governo estadual, na capital paulista, a liberação de R$ 234 milhões anuais para serviços de saúde que estavam funcionando sem contrapartida do governo federal. Os recursos vão para 193 municípios e contemplarão centros de Atenção Psicossocial (CAPs), centros especializados em Reabilitação (CERs), Atenção Domiciliar, unidades de Pronto-Atendimento (UPAs), além de subsidiar serviços hospitalares e ambulatoriais especializados e de média complexidade. Foram liberados também R$ 591 milhões para atender às emendas parlamentares. Esse valor será repassado de forma integral.

O estado de São Paulo recebeu ainda 81 novas ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O objetivo é substituir ambulâncias com até cinco anos de circulação sem renovação. Serão beneficiados 57 municípios paulistas, sendo que a capital receberá o maior número de unidades (14). Do total dos veículos doados, 51 estão entre os 204 novos carros adquiridos para o país todo, a um custo de R$ 30,7 milhões. Atualmente, o estado de São Paulo conta com 594 ambulâncias, sendo 495 unidades de suporte básico e 99 de suporte avançado, além de 58 motolâncias e 51 centrais de regulação.

Segundo o ministro Ricardo Barros, os recursos liberados são resultado da otimização dos gastos da pasta. De acordo com ele, nos 200 dias em que está no ministério, a economia chega a R$ 1,9 bilhão. “O maior volume de economia que fizemos foi na compra de medicamentos, seguida da revisão de contratos e da reforma administrativa, e uma gestão muito austera do ministério”.

Aedes aegypti

Barros aproveitou para lembrar que o todos devem participar da luta contra o mosquito Aedes aegypti, transmissor da chikungunya, zika, dengue e febre amarela. “ Precisamos que cada cidadão assuma a responsabilidade de combater o mosquito. Não há força pública que seja capaz de combater o mosquito e cada um tem que fazer sua parte toda sexta-feira nas escolas, empresas e motivar as pessoas a eliminarem os focos do Aedes em sua casa”.

No final do ano passado, o Ministério da Saúde lançou a campanha “Um simples mosquito pode marcar uma vida – um simples gesto pode salvar” para conscientizar a população sobre as consequências das doenças causadas pelo Aedes aegypti. A campanha inclui o incentivo à realização de mutirões em órgãos da administração pública, unidades de saúde e estatais, com mobilização todas as sextas-feiras para verificação de possíveis focos do mosquito. A ação, chamada de Sexta-feira sem Mosquito, visa a estimular outras empresas, associações e a própria população para que cada um faça a sua parte.

Comente esta matéria 0 comentários
Seja o primeiro a comentar esta matéria!
Seu telefone e e-mail NÃO serão publicados!
* Campos obrigatórios! (caracteres restantes: 1000)
Li e estou de acordo com os termos e condições de uso do portal.
Outras notícias sobre BRASIL LISTAR TODAS
JORNAL DE JUNDIAÍ
política de privacidade anuncie conosco
editorias
Brasil
Cantinho Pet
Economia
Empregos e Concursos
Especiais
Especial 50 Anos
JJ Nos Bairros
Jotinha
Motor
Mundo
Opinião
Polícia
Política
Repórter JJ
Turismo
cidades
Jundiaí
Região
entretenimento
Agito
Cultura & Lazer
Estilo
Revista Estilo & Casa
Théo Faz & Acontece
Revista Hype
Revista Noivas
esportes
fotos
tv jj
Entrevistas
Na Cozinha
Na Ponta da Língua
Notícias
Periscope
Salão Duas Rodas
Seu Bolso
Simplesmente Vinho
grupo jj
Fale Conosco
Blog JJ
Repórter JJ
Quem Somos
Expediente
Anuncie
Assine o Jornal
Enquete
Rádio Difusora
Revista Hype
Revista Noivas
Ponto Onze
Gráfica JJ
Termo e
Condições de Uso
2014 © Jornal de Jundiaí - Todos os direitos reservados.
Acesse:
Projeto Gráfico: Marcelo Savoy | Desenvolvimento: //sithes.com