JUNDIAÍ
Jundiaí, 21 de fevereiro de 2017
17/02/2017 05h00 - FISCALIZAÇÃO

Seis estabelecimentos são autuados por focos do Aedes

Simone de Oliveira
scoliveira@jj.com.br
© Elton Oliveira
O veterinário Carlos Ozahata mostra como o mosquito da dengue se comporta e a atuação da Zoonoses
Estabelecimentos comerciais considerados pela Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ) como pontos estratégicos, ou seja, aqueles com facilidade de acumular focos do mosquito Aedes aegypti, como borracharias, ferros-velhos e até comércios de sucatas, estão sendo autuados e multados. Só este ano foram seis notificações, a mais recente foi imposta a um comércio de sucata, no Jardim Guanabara.

O proprietário foi multado em 40 vezes o valor da Unidade Fiscal do Estado de São Paulo (UFESP), ou seja, R$ 1.002,80. Segundo o gerente da UVZ, o veterinário Carlos Ozahata, a fiscalização tem sido mais efetiva nestes pontos porque são lugares onde o risco de ter focos do mosquito é muito grande, principalmente pelo acúmulo de lixos, entulhos e pneus.

“As multas são aplicadas em comércios que foram reincidentes, quer dizer, quando não cumpriram as determinações dos agentes na primeira visita. Se constatamos a presença de algo que pode se tornar um criadouro ou já focos do mosquito emitimos o auto de infração, mas, se depois do retorno, que pode ser entre 15 e 30 dias, nada for feito por parte deste proprietário é aplicado o auto de imposição e neste caso inclui desde advertências, multa e até o fechamento do estabelecimento”, explica.

Ele lembra que o valor da multa é baseada na Lei Estadual nº 10.083/98 e pode variar entre 10 e 10 mil UFESPs, lembrando que o valor atual da unidade fiscal é de R$ 25,07. “Sempre orientamos estes proprietários quanto à limpeza e organização do espaço porque são lugares que podem se tornar criadouros muito facilmente e em um curto espaço de tempo. Se estiverem localizados próximos a residências a situação é mais grave ainda, então temos que estar atentos durante a fiscalização, mas sempre contamos com cooperação deste proprietário”, comenta Ozahata lembrando que as autuações foram em diferentes pontos da cidade.

Monitoramento - Apesar de não haver registros ou suspeitas da doença, as fiscalizações ocorrem para que os focos do mosquito não se tornem uma ameaça, por isso é importante que as denúncias sejam registradas. Ozahata lembrou que é muito raro as multas em residências, mas mesmo assim é importante o proprietário ficar atento à limpeza do local e permita que o agente entre na casa quando necessário. “As denúncias devem ser registradas pelo 156 (Canal de Comunicação) porque assim podemos enviar uma equipe para verificar qualquer presença de arboviroses (doenças transmitidas por insetos e incluem zika vírus e dengue).”

Comente esta matéria 0 comentários
Seja o primeiro a comentar esta matéria!
Seu telefone e e-mail NÃO serão publicados!
* Campos obrigatórios! (caracteres restantes: 1000)
Li e estou de acordo com os termos e condições de uso do portal.
Outras notícias sobre JUNDIAÍ LISTAR TODAS
JORNAL DE JUNDIAÍ
política de privacidade anuncie conosco
editorias
Brasil
Cantinho Pet
Economia
Empregos e Concursos
Especiais
Especial 50 Anos
JJ Nos Bairros
Jotinha
Motor
Mundo
Opinião
Polícia
Política
Repórter JJ
Turismo
cidades
Jundiaí
Região
entretenimento
Agito
Cultura & Lazer
Estilo
Revista Estilo & Casa
Théo Faz & Acontece
Revista Hype
Revista Noivas
esportes
fotos
tv jj
Entrevistas
Na Cozinha
Na Ponta da Língua
Notícias
Periscope
Salão Duas Rodas
Seu Bolso
Simplesmente Vinho
grupo jj
Fale Conosco
Blog JJ
Repórter JJ
Quem Somos
Expediente
Anuncie
Assine o Jornal
Enquete
Rádio Difusora
Revista Hype
Revista Noivas
Ponto Onze
Gráfica JJ
Termo e
Condições de Uso
2014 © Jornal de Jundiaí - Todos os direitos reservados.
Acesse:
Projeto Gráfico: Marcelo Savoy | Desenvolvimento: //sithes.com