JUNDIAÍ
Jundiaí, 23 de setembro de 2017
21/03/2017 05h00 - MELHOR IDADE

Jundiaí é a 7ª melhor cidade para se viver após os 60 anos

Niza Souza
csouza@jj.com.br
© Divulgação
Estudo aponta que educação e trabalho é a variável que coloca Jundiaí em lugar de destaque no ranking
O Índice de Desenvolvimento Urbano para Longevidade (IDL), uma iniciativa do Instituto de Longevidade Mongeral Aegon e da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas (FGV), aponta Jundiaí como a 7ª melhor cidade do País para se viver após os 60 anos. Para formar o ranking, divulgado neste mês, o estudo cruzou dados de 63 indicadores divididos em sete variáveis: indicadores gerais, cuidados de saúde, bem-estar, finanças, habitação, educação e trabalho, cultura e engajamento, de 498 cidades brasileiras de grande e pequeno porte.

O estudo aponta que educação e trabalho é a variável que coloca Jundiaí em lugar de destaque no ranking, especialmente em consequência de seu desempenho superior refletido na menor taxa de distorção idade-série entre as 150 maiores cidades do Brasil. Nessa variável, a cidade ficou em segundo lugar.

Outro indicador que garantiu a boa colocação da cidade foi o de finanças, com o reduzido número de pessoas consideradas de baixa renda. Além disso, Jundiaí encontra-se entre as 20 cidades de melhor desempenho em termo de cultura e engajamento. O relatório do IDL aponta o que precisa ser trabalhado. Conforme o estudo, Jundiaí pode encontrar espaço para melhorar em questões como aumento no número de estabelecimentos para condicionamento físico, matrículas no ensino superior e aumento no número de pessoas com acesso a planos privados de saúde.

O ranking é liderado por Santos (SP), seguido por Florianópolis (SC), Porto Alegre (RS), Niterói (RJ), São José do Rio Preto e Ribeirão Preto (SP). Depois de Jundiaí, entre as 10 melhores cidades, ficaram Americana (SP), Vitória (ES) e Campinas (SP). “Mais do que um ranking, queremos que o IDL seja uma ferramenta prática que contribua para que os gestores públicos desenvolvam políticas que estimulem a qualidade de vida das pessoas acima de 60 anos, principalmente no cenário atual de contínuo aumento da longevidade”, explica Henrique Noya, diretor-executivo do Instituto Mongeral Aegon.

Políticas públicas - Em Jundiaí, segundo o último Censo do IBGE, de 2010, 13% da população jundiaiense eram acima de 60 anos. O presidente do Conselho Municipal de Direitos da Pessoa Idosa (Comdipi), Milton Calzavara, acredita que um dos motivos pela “excelente” colocação de Jundiaí no ranking é a preocupação do poder público com a população idosa.

“A partir de dezembro de 2013 o Comdipi foi regulamentado. Também foi criado o Fundo Municipal do Idoso, que nos permite a captação de recursos. Já financiamos cinco projetos no ano passado. Tudo isso despertou o interesse da população pelas políticas públicas voltadas para a população idosa”, diz. Calzavara destaca ainda o trabalho integrado na cidade entre o Poder Público, a Promotoria do Idoso, no Ministério Público, e o conselho. “Tudo isso influencia nas ações voltadas para esse público, como a Semana do Idoso, que evoluíram muito nos últimos anos.”

Assistente social e coordenadora do Centro de Referência do Idoso de Jundiaí (Criju), Eliana Mauro reforça a importância de inserir o idoso na sociedade. “Sabemos que a tendência da maioria dos idosos é o isolamento. Por isso, o objetivo do Criju é justamente criar um ambiente onde ele possa socializar”, explica.

Atualmente, o Criju atende em torno de 700 idosos, das mais variadas idades, por semana. “Eles vêm de todos os bairros da cidade. Oferecemos mais de 20 atividades, sem contar o baile aos sábados à tarde, que reúne em média 300 pessoas. Temos idosos de mais de 90 anos super ativos”, destaca Eliana.

Comente esta matéria 12 comentários
celso 21/03/2017 07:03:08
NÃO ESQUEÇAM DO CUSTO DE VIDA QUE NÃO É BAIXO - NEM BANCO TEM NAS PRAÇAS EM NÚMERO SUFICIENTES PARA PESSOAS SENTAREM. TEM UM SISTEMA DE ONIBUS COM MOTORISTAS QUE NÃO RESPEITAM O SINAL. ISTO É QUALIDADE DE VIDA?

M.E. 21/03/2017 07:31:29
Pergunto-me como o idoso vai ao baile? Andando não é, pois as calçadas não o permitem, a segurança tampouco. De ônibus também não, pois a maioria dos motoristas continuam parando nos pontos a pelo 1 metro das calçadas, atrapalhando o trânsito, de modo a poderem sair mais rapidamente. Danem-se os joelhos dos idosos.Penso na dificuldade, ou mesmo impossibilidade, do cadeirante locomover-se nas ruas da cidade.a A DAE deve ter algum conchavo com o fabricante de lupas, pois sem essa ferramenta é impossível ao idoso ler os números do código de barras, mesmo usando óculos. Falta também divulgação clara e constante pela prefeitura, talvez no site da mesma, dos serviços existentes dirigidos aos idosos.
XR 21/03/2017 07:33:13
SOU NASCIDO E CRIADO EM JUNDIAÍ, 65 ANOS, DUVIDO DESTA PESQUISA, JUNDIAÍ, NÃO TEM QUASE NADA DE DIVERTIMENTOS, CIDADE ONDE TUDO É CARO, RESTAURANTES, CASAS, APARTAMENTOS,TERRENOS, ALUGUEL ENTÃO NEM SE FALA! NA PARTE DE SAÚDE,O IDOSO QUE PRECISAR DE ATENDIMENTO PELO SUS ESTÁ FERRADO E MUITO! OS CONVÊNIOS TAMBÉM PARA IDOSOS SÃO INVIÁVEIS, SEM CONTAR QUE ATENDEM MAL PRA CARAMBA, NÃO PASSAM DE UM SUS COM CADEIRAS MAIS CONFORTÁVEIS! DIZER QUE JUNDIAÍ É A SEGUNDA OU TERCEIRA CIDADE PARA SE MORAR, É MENTIRA! COMO TUDO NESTE PAÍS! E NÃO FALEI DA SEGURANÇA, QUE AQUI É HORRÍVEL! BANDIDO AQUI FAZ O QUE QUER!
Regina 21/03/2017 09:09:46
As oficinas oferecidas no CRIJU tem profissionais danda aulas sem pagamento, pois o salário a ser pago, está atrasado. Como ter qualidade quando os oficineiros trabalham de forma voluntária? Eles também precisam pagar suas contas.
Luis Eduardo 21/03/2017 11:14:30
Não é Jundiaí que está bem, mas o resto do Brasil é que está mal. Se compararmos a qualidade de vida dos idosos na Europa ou no Canadá, percebemos que o Brasil está muito mal.
Erick 21/03/2017 11:31:54
Regularmente eu faço visitas em Jundiaí nos bairros Anhangabaú, Retiro, Vila Hortolândia, Engordadouro e Eloy Chaves. Constatei que é uma cidade bonita, apesar dos problemas que o moradores relatam. Meu cunhado também mudou para a cidade e está gostando muito e já é morador do Eloy Chaves há um ano.Como toda cidade existem problemas, mas comparadas as demais cidades do estado, Jundiaí é ótima.
Marcus 21/03/2017 14:14:57
É lastimável como usam a mídia - midia entra por algum interesse - para jogar conversa fiada em cima da população. Façam uma visitinha nos postos de saúde, local que mais o idoso necessita; façam uma visitinha nos postos de distribuição de remédios e tente ver se encontra Melhoral; Remédios se encontra em farmácias especializadas onde atende 24 hrs por dia de segunda a segunda. Já nos famosos postinhos não se pode ficar doente a noite e nem aos finais de semana. Cade os tais psseudos vereadores que não buscam ideias novas para solução de problema tão simples? Conferir o crédito do absurdo que recebem no banco no final do mês, isso sabem fazer com maestria. Cadê o convenio com Farmácias, para população ao sair do consultório no postinho ter a oportunidade de pegar o remédio receitado pelo médico. Agora, o processo da exploração imobiliária, essa vai bem, obrigado. Lamentável.
Cyrano Flores 21/03/2017 14:15:20
Não poderia deixar de comentar dessa falácia de pesquisa sem critério. Pode ser que seja melhor para quem tem dinheiro e fácil acesso ao plano de saúde. Falta calçadas niveladas para os idosos andarem, falta segurança no centro. Um idoso andando sozinho por esse lugar é pedir para ser assaltado. Anda nesses ônibus sujos e fedidos com gente sem educação, que vê o idoso entrar no ônibus e finge que está dormindo. Vá nos centros de saúde. Falta remédios, falta principalmente educação. Pesquisa arranjada!!!! Balela pura! A mim não me engana. Até poderia ser um ótimo lugar se pensassem nos idosos. Que pena!!!
Não importa 21/03/2017 15:33:47
Quanta gente reclamando da cidade, mas porque não mudam? Vão morar na baixada fluminense ou Natal no rio grande do norte é ótima, tem chacina todo dia....lá ninguém paga agua e coleta de esgoto porque não tem....vão pra lá cambada de mau agradecidos...
Odair 21/03/2017 19:07:19
Moro em Jundiaí desde de 1990, antes morei em algumas cidades do interior de SP e nos últimos dois anos fiquei fora de Jundiaí retornando em janeiro de 2017, foram um ano em Araraquara-SP e um ano em londrina-PR,Cascavel-PR e Cambé-PR cidades boas num contesto geral mas disparado prefiro Jundiaí...o que me chamou a atenção neste retorno foi o estado de abandono em que a cidade se encontra isso é notório!!! Mesmo tendo nascido muito longe de Jundiaí me considero de coração Jundiaiense, sempre fui muito bem acolhido, aqui é minha casa!
Juninho Drm 21/03/2017 22:27:41
Jundiaí tem seus problemas sim como em qualquer outro lugar. Mas é com certeza um dos melhores lugares para se viver. Quem diz o contrário, nunca sequer viajou para cidades a pouco mais de 200km daqui, ou ainda conheceu cidades famosas pelo país. Nasci e passei toda minha vida aqui, acompanhando a evolução desta cidade, e a recente superlotação de condomínios de luxo invadindo nosso maior patrimônio, nossa serra do Japy. Digo com propriedade que Jundiaí é sim umas das melhores cidades. Quem acha o contrario, pode fazer uma viagem pelo país e depois ver se ainda terá a mesma opinião.
Valéria Godoy 23/03/2017 06:40:26
Jundiaí não é a melhor cidade do mundo, mas é sim uma boa cidade!
Tem está colocação porque foi comparada com outras cidades. Depois que
Conheci a realidade de outros municípios dá região de Jundiaí, concordo
Que é um lugar bom para viver.
Seu telefone e e-mail NÃO serão publicados!
* Campos obrigatórios! (caracteres restantes: 1000)
Li e estou de acordo com os termos e condições de uso do portal.
Outras notícias sobre JUNDIAÍ LISTAR TODAS
JORNAL DE JUNDIAÍ
política de privacidade anuncie conosco
editorias



Empregos e Concursos
Especiais


Motor
Mundo
Opinião
Polícia
Política
Repórter JJ
Turismo
cidades
Jundiaí
Região
entretenimento

Cultura & Lazer
Théo Faz & Acontece
esportes
tv jj



Notícias
Periscope


grupo jj
Fale Conosco
Repórter JJ
Quem Somos
Expediente
Anuncie
Assine o Jornal
Gráfica JJ
Termo e
Condições de Uso
2014 © Jornal de Jundiaí - Todos os direitos reservados.
Acesse:
Projeto Gráfico: Marcelo Savoy | Desenvolvimento: //sithes.com