POLÍTICA
Jundiaí, 24 de agosto de 2017
19/06/2017 06h00 - CÂMARA MUNICIPAL

Proibição de fogos de artifício entra na pauta nesta terça (20)

Paulo Behr Ferro
pferro@jj.com.br
© Arquivo JJ
Entre os três projetos de lei a serem votados nesta terça-feira (20) durante a 20ª Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Jundiaí, o de nº 12.242, que ‘veda fogos de artifício e artefatos pirotécnicos de efeito sonoro’ deve ser o mais polêmico na apreciação da pauta.

De autoria dos vereadores Faouaz Taha (PSDB), Leandro Palmarini (PV), Paulo Sérgio Martins (PPS) e Rafael Antonucci (PSDB), a proposta traz à discussão os malefícios de soltar os fogos próximos a crianças e animais. Por outro lado, tem levantado a discordância entre comerciantes e representantes de torcidas organizadas preocupadas com os prejuízos da proibição.

No texto de justificativa do projeto, os vereadores reforçam que o tema entrou em discussão devido aos impactos negativos da soltura, entre eles, a fuga de cães e gatos devido ao barulho provocado pelos fogos, sendo que alguns chegam a entrar em óbito dependendo da intensidade do barulho, além de problemas causados nas pessoas, como queimaduras, falhas na audição e até perda de membros, como mãos e braços.

Os autores do projeto declaram que o mesmo tem o objetivo de ‘proporcionar segurança e oferecer condições de bem-estar aos animais e pessoas’ e que a proibição se refere aos artifícios de efeito sonoro, sendo assim os visuais permanecem permitidos em lugares com grande aglomeração de pessoas.

No último dia 25, houve audiência pública na Câmara para para debater o projeto e, na ocasião, comerciantes e torcidas organizadas, além de pessoas ligadas à causa animal, estiveram presentes para darem suas opiniões.

Outros trabalhos
Além dos fogos de artifícios, os vereadores discutem também as propostas do vereador Roberto Conde Andrade (PRB), que institui a Campanha de Prevenção e Combate à Obesidade Infantil. No texto, o pastor Roberto Conde lembra que é preciso aumentar o bem-estar das crianças, oferecendo a elas alimentos saudáveis, uma vez que os índices em todo o país tem aumentado.

A campanha se dará todo dia 11 de outubro, data que já se comemora o Dia Nacional de Combate à Obesidade. A ideia é implantar ações educativas em escolas, postos de saúde e creches para pais e educadores.

Outro projeto em discussão será o do vereador Antônio Carlos Albino (PSB) sobre incluir no Calendário Municipal de Eventos, mais especificamente no terceiro final de semana de agosto, o encontro ‘Homens com Honra’, promovido há alguns anos pela Comunidade Cristã Pró-Família. O objetivo é capacitar e despertar homens e mulheres para se tornaram pessoas de bem.

O prefeito Luiz Fernando Machado (PSDB) por sua vez apresenta a proposta de emenda à Lei Orgânica nº 132/2017 para estabelecer novos prazos de apresentação de matérias orçamentárias e alterar disposições sobre Plano de Metas e prestação de informações à Camara Municipal. Será apreciada em 1º turno.
Moções

Além dos projetos, cinco moções serão apresentadas durante a sessão, entre elas a do vereador Edicarlos Vieira (PSD), que apela ao Ministro do Esporte, Leonardo Carneiro Monteiro Picciani, quanto a construção de uma unidade do Centro de Iniciação ao Esporte (CIE) no bairro do Medeiros, região Oeste da cidade.

Gustavo Martinelli (PSDB) pede ao governador Geraldo Alckmin e ao secretário de Logística e Transportes, Laurence Casagrande Lourenço, urgência na iluminação pública da Marginal Sul da rodovia Anhanguera (trecho compreendido entre os kms 53 e 55.

O vereador suplente Josinaldo Francisco Lira (PMDB) também apela a Geraldo Alckmin para urgência nas obras de duplicação da rodovia Presidente Tancredo de Almeida Neves. Já Valdeci Vila Matheus (PTB) apresenta moção de apoio à PEC de nº 297/2016 que determina a especialização de varas de saúde pública no âmbito dos Tribunais Regionais Federais e dos Tribunais de Justiça.

Roberto Conde Andrade (PRB) também apresenta moção de apoio ao projeto do deputado estadual Carlos Giannazi que dispõe sobre a isenção tributária para aquisição de veículos automotores para uso no transporte escolar.

Comente esta matéria 10 comentários
Gustavo 19/06/2017 07:11:17
Esse projeto de proibição de fogos é a maior perda de tempo da história da cidade. Vai continuar sendo vendido clandestinamente, ou vai ser buscado o produto em outras cidades. A lei já nasce natimorta.Tanta coisa para ser discutida como saude, educação, trasporte publico etc. Deveria se discutir a posse de animais e sua regulamentação e cadastramento. Hj em dias o numero de animais domemontes está descontrolado e vem causando muitos litigios por causa da posse irresponsavel. Animais que incomodam vizinhos com latidos conheço um monte.
Laura Ferrari 19/06/2017 08:14:44
Discordo de você, Gustavo. Acho sempre válido lutar pelo melhor, mesmo que nem sempre consigamos vencer de primeira. Fogos com barulho são um incômodo para todos, animais, crianças e adultos também. É uma prática de pessoas ignorantes, na minha opinião.
Concordo que exitem outros assuntos que também devem ser colocados em pauta, e é por isso que nós devemos sempre cobrar dos vereadores para que eles levem os projetos à câmara.
Luis 19/06/2017 09:37:09
Concordo com o Gustavo
Persio Bergonzi 19/06/2017 10:25:29
Concordo em número gênero e grau com o comentário do Sr. Gustavo.
Lei que nasceu morta e mirando animais ao invés de seres humanos.
Falta uma lei proibindo chover nos dias de feriado prolongado ou subsidiar martelos e serrotes para canhotos. Tenham dó!
As lojas de fogos das cidades vizinhas irão ser eternamente gratas por lhes aumentar o faturamento.
MARCOS R. STEFANI 19/06/2017 12:08:21
Falar a verdade eu não solto fogos, mas eu acho um show lindo, aquelas luzes brilhando a noite, as crianças ficam encantadas com todo aquele brilho, dai o cidadão vai perguntar é porque você não tem animais ou pessoas doentes em casa, tenho apenas 09 cães e 02 gatas e uma pessoa doente e criança em casa e quando tem esses shows no céu dou todo carinho aos meus animais que ficam numa boa. Pensou uma festa junina, Reveillon uma comemoração sem fogos? Me poupe, estão querendo proibir divertimentos alegres por coisa besta. Porque não discute dos bares da 9 que vendem bebidas alcoolicas doidados para os jovens final de semana, porque não discutem para melhorar o pichação dos prédios, porque não discute da saúde publica de colocar mais médicos nos postos de saúde, pq não discute mais creches, pq não discute veterinário gratuito....e ai vai... agora perder tempo com isso...
Benhur Belotto 19/06/2017 12:52:48
50 mil mortos por ano à bala, 50 mil mortos por ano em acidentes, 14 milhões de desempregados, corrupção à todo vapor, juventude perdida nas drogas, educação lixo, saúde lixo e esses senhores preocupados com barulho de fogos de vez em nunca. Vejam as cabecinhas desses vereadores sem grau algum de prioridade e inteligência. Querem se promover as custas de animais que duvido que tenham todo esse amor. Depois em suas comemorações vão usar e não serão sequer repreendidos, pois são vereadores.....
Edmilson j M 19/06/2017 17:34:06
Ficam os de efeitos luminosos, É o suficiente, Torcidas organizadas? Para que? Para mirarem uns nos outros???? Para que mais serve mesmo? Ja escutaram fogos 2 horas da manhã dia de semana, as 3 horas? Sabem porque soltam a essa hora? Não sabem? Então vão se informar, é um aviso para certo grupo de pessoas. Alem do mal a animais, atingem também crianças, recém nascidos, pássaros, poluição sonora e do ar. Qual o prazer de escutar um estrondo 1 hora da manhã em uma rua calma e tranquila? Quantos acidentes e verba são destinados a quem se fere com essa porcaria? Precisamos de mais coisas sim, mas este já é um bom começo. Sobre o comentário de trazer de fora, em Santos não pode vender e nem soltar, então trazer de fora e for denunciado você dança. Está certíssimo. Sou contra sofrimento dos animais, já vi cachorro sendo atropelado devido a explosão de fotos, vale a pena sacrificar animais para escutar uma explosão? As opiniões acima só podem ser de parentes de comerciantes do ramo.
Eusébio 19/06/2017 18:30:06
1) As ondas eletromagnéticas provenientes dos celulares, Tvs, radio amadores prejudicam a saúde de todos os seres vivos, independente da idade. Façam uma lei para proibir. 2) Os gases dos escapamentos dos veículos a combustão são tóxicos para todos os seres vivos, independente da idade. Façam uma lei para proibir também. Alimentos industrializados possuem produtos quÍmicos....proíbam também......ou seja, vamos voltar à idade da pedra lascada. JÁ ESTÁ FICANDO CHATO ESSE NEGÓCIO DE "POLITICAMENTE CORRETO". QUE PAÍS DE MERDA EM QUE VIVEMOS HOJE....PELAMORDEDEUS.
Regina 19/06/2017 20:55:31
Eu aprovo essa lei que pode ser útil e deixar de fazer um barulho que nada tem de alegre, mas prejudica os animais e os que têm ouvidos sensíveis. Nada contra outras prioridades, mas devemos pensar no que isso causa também. Espero que a lei seja aprovada pelos vereadores, e assim seja um exemplo a mais nesse sentido. Pode haver a alegria no céus sem barulho.
Raphael Alvarenga 19/06/2017 21:19:53
A população tem que levar em conta que os vereadores e prefeito são nossos funcionários, ou seja devemos escolher melhor quem vai nos representar, não tão levando em conta a economia do município, ou seja os comerciantes de Jundiaí não poderão mais vender ok, ai pra eu soltar fogos vou comprar em Várzea ou Itupeva que são as cidades mais próximas, ou seja o problema de barulho não será resolvido
Seu telefone e e-mail NÃO serão publicados!
* Campos obrigatórios! (caracteres restantes: 1000)
Li e estou de acordo com os termos e condições de uso do portal.
Outras notícias sobre POLÍTICA LISTAR TODAS
JORNAL DE JUNDIAÍ
política de privacidade anuncie conosco
editorias



Empregos e Concursos
Especiais


Motor
Mundo
Opinião
Polícia
Política
Repórter JJ
Turismo
cidades
Jundiaí
Região
entretenimento

Cultura & Lazer
Théo Faz & Acontece
esportes
tv jj



Notícias
Periscope


grupo jj
Fale Conosco
Repórter JJ
Quem Somos
Expediente
Anuncie
Assine o Jornal
Gráfica JJ
Termo e
Condições de Uso
2014 © Jornal de Jundiaí - Todos os direitos reservados.
Acesse:
Projeto Gráfico: Marcelo Savoy | Desenvolvimento: //sithes.com