JUNDIAÍ
Jundiaí, 24 de novembro de 2017
11/11/2017 21h31 - REALISMO

A fome volta a assombrar

Gustavo Amorim
gamorim@jj.com.br
© Alexandre Martins
Maria Helena Picolli relata que às vezes, simplesmente não come. “No bairro, muita gente passa dificuldade”
Jundiaí tem 3.139 famílias dentro da linha de extrema pobreza, mas mesmo quem não está nessa situação depende de doações para ter o que comer; prefeitura está fazendo projeto de segurança alimentar 

“Hoje eu não almocei.” Foi com essa frase que Maria Helena Picolli recebeu a reportagem do Jornal de Jundiaí Regional na última terça-feira. Aos 70 anos, ela mora sozinha no Jardim Fepasa, em uma casinha de tijolo sem revestimento - é um cômodo agregado com cama, geladeira, fogão e um armário onde guarda as roupas. Na dispensa, meio saco de arroz, uma sobra de feijão, farinha de mandioca e meia litro de óleo. E só. A geladeira está quebrada e o pouco que havia lá dentro estragou. “Vai continuar sendo assim, meu filho. Não tenho dinheiro.”

Maria Helena é só uma pessoa dentre as 3.139 famílias que vivem com uma renda per capita de, no máximo, R$ 85 por mês em Jundiaí, segundo a prefeitura da cidade. Sim, são R$ 85 para passar os 30 dias, valor que configura estado de pobreza extrema. Questionada pela reportagem se passa fome, a senhora assentiu com a cabeça. E completou: “É triste”.

Segundo dados recentes da Organização Mundial das Nações Unidas (ONU), o mapa da fome no mundo voltou a crescer após uma década de diminuição por conta de conflitos e mudanças climáticas. Atualmente, de acordo com a entidade, mais de 2 bilhões de pessoas sofrem de alguma forma de deficiência nutricional – aproximadamente 30% da população mundial. 11% delas - 815 milhões têm fome. O Brasil saiu do mapa mundial da fome em 2014, o que significa que menos de 5% da população sofre de falta de alimentos. Recentemente, a ONU também divulgou que 1,3 toneladas de alimentos produzidos pela  América do Sul e Caribe (15% do total) são desperdiçados, o que, segundo o órgão, poderia alimentar 30 milhões de pessoas nas respectivas regiões.

Medo da fome

A administração municipal de Jundiaí revelou à reportagem do JJ Regional que está com um projeto em tramitação interna para instituir a política municipal de segurança alimentar, mas não deu mais detalhes sobre quando a medida funcionará ou quando começará a valer.

Altamira dos Santos, 32 anos, Ludmir Sampaio, 44, e os seis filhos, também moradores do Jardim Fepasa, não têm essa segurança alimentar. O casal reitera que fome, hoje, eles não passam. “Mas só porque a gente recebe as doações. Se fosse depender da gente não ia ter comida nenhuma na mesa”, conta o casal, que está desempregado. Com Kaique, 13 anos, Kaiane. 10, Kerolin, 9,  Keirrison, 7, e Kauã, 6, matriculados na escola em tempo integral - apenas Kemilly. de seis meses fica em casa -, a família recebe auxílio do Bolsa Família, programa do governo federal. É a única renda fixa da família.

Segundo a Prefeitura de Jundiaí, 4.603 famílias recebem o benefício atualmente. O número é 22,6% menor que em 2015, quando 5.949 famílias estavam cadastradas no sistema. Em Jundiaí, apenas oito dos 74 bairros não tem nenhum morador residente que recebe o benefício.

Jéssica Garcia também está cadastrada no programa.  Ela têm dois filhos (Gabriel e Davi, de 2 e 4 anos respectivamente) e está desempregada. Ela mora no Jardim São Camilo, em uma casa que está com o chuveiro queimado e com rachaduras nas paredes. “Vou ter que dar banho frio nos meninos hoje. Pelo menos a comida, agora, eu tenho”, conta a mulher de 27 anos. Isso porque recebeu ajuda dos familiares do marido, que cumpre pena. Antes, na mesa, apenas arroz, feijão e ovo. “Meus filhos me olham com uma carinha de ‘mãe, ovo outra vez?’, e eu só falo que eles têm de agradecer por ter ovo. Poderíamos estar na rua. É desesperador”, diz.

A nutricionista Juliana Pavan destaca que a falta de nutrientes diminui o potencial de crescimento e desenvolvimento das crianças. “A falta de ferro causa dificuldade de aprendizagem. A partir disso, ela vai ter dificuldades nas atividades escolares, o que repercute na colocação da pessoa no mercado de trabalho futuramente”, afirma a especialista do Cren (Centro de Recuperação e Educação Nutricional).

Segundo a Unidade de Gestão de Assistência e Desenvolvimento Social, o acompanhamento dessas pessoas em situação de vulnerabilidade é feito pelos diferentes equipamentos da Assistência Social. O Centro de Referência de Assistência Social (Cras) é o órgão da proteção social básica, onde são oferecidos, por exemplo, o Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (Paif), o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV).

Comente esta matéria 36 comentários
CELSO 12/11/2017 06:40:59
ué! o partido dos trabalhadores do LULA, não tiraram esta gente da pobreza????
celso 12/11/2017 06:42:28
OS POLÍTICOS VIVEM FALANDO EM AÇÕES SOCIAIS AOS POBRES, COMO ISTO AINDA PODE ESTAR ACONTECENDO COM AS FAMÍLIAS PASSANDO FOME???
Nascimento 12/11/2017 08:01:08
A solução? Menos Marx e mais Mises.
Doug 12/11/2017 08:31:35
Isso tudo graças ao governo Temer.
Se o Brasil não for pra todos, vai ser pra nenhum!!
Pamela Danusa 12/11/2017 09:47:46
Deveriam publicar na reportagem alguma forma de contato com essas pessoas para que possamos ajudar, infelizmente moram em um lugar perigoso em Jundiaí e eu não entraria nesses bairros perguntando onde moram essas pessoas, Então deveria ser publicado lguma forma, até msm o jornal de Jundiaí poderia recolher as doações e levar até eles
ElAINE kIMIE kITICE 12/11/2017 13:03:09
POR FAVOR GOSTARIA DE SABER SE TEM COMO SABER COMO SE PODE AJUDAR COM ALGUM TIPO E ALIMENTO , ESSA SENHORA TOCOU MEU CORAÇÃO GOSTARIA DE SABER COMO POSSO AJUDAR ELA E OUTRAS PESSOAS???
paulo leme 12/11/2017 13:21:43
DISTRIBUIÇÃO DE RENDA DESIGUAL NESSE PAÍS É A PIOR COISA QUE EXISTE

ESSE PAÍS SÓ VAI MIDAR QUANDO ISSO FOR JUSTO

Solange Aparecida Couto dos Santos 12/11/2017 17:43:02
Oi, gostaria de saber como ajudar essa senhora! Do Jardim Fepasa! Não me entra na cabeça, uma senhora, como essa que deve ter trabalhado uma vida inteira e estar nessa situação!!! Fico no aguardo! Meu e-mail não está funcionando bem, então entrem em contato comigo pelo telefone!!!! Obrigada!!!!
Silvana 12/11/2017 20:45:42
Gente como podemos ajudar a Dona Maria, ?
Rachel 12/11/2017 21:28:29
Boa noite como fazer doações de alimento para este familiare
alguem 12/11/2017 22:23:53
Acredito que não nos leva a nada ficarmos falando que partido A ou B é culpado, sabemos que estamos jogados as traças com relação a administração publica, não sejamos inocente, nenhum politico quer saber do povo vide nossa cidade eu reclamava do Bigardi, mas a situação não mudou nada, acho que até piorou. Com base nessa falta de esperança nos políticos poderíamos criar um grupo em nossa cidade e nos mobilizarmos em ajudar essa mais de 3000 famílias, afinal juntos somos muito mais que qualquer politico escroto.

NETO DA VELHA SAFADA 13/11/2017 12:40:40
GENTE SOU NETO DESSA VELHA E ELA É MUITO MENTIROSA, ELA GANHOU TANTO DINHEIRO DE UMA INDENIZAÇÃO E GASTOU TUDO COM DROGAS PRO MARIDO, COMPROU UM CARRO E DEPOIS VENDEU PRA PAGAR AS DIVIDAS DE DROGAS. ELA COME TODO DIA NA CASA DA FILHA Q ELA ABANDONOU E DEPOIS Q COME ELA XINGA MINHA TIA, MEU PAI QUASE MORREU POR CAUSA DELA. ESSA VELHA É MALVADA E METIROSA.

ELA ABANDONOU TODOS OS FILHOS
Direita 13/11/2017 13:04:33
é isso aí nascimento!! falou tudo! menos marx!
PROF EVERTON 13/11/2017 13:17:04
Quando tocamos nesses assuntos já vem o preconceito: é coisa de comunista e petista...A coisa é séria. Não é sombra é verdade, o cenário é assustador. Se aqui nessa cidade rica e cheia de oportunidades tem esse quadro imagina no resto do país.
Bel 13/11/2017 21:40:17
Para que se possa entender melhor, a historia da D. Maria deve ser investigada!
celso 14/11/2017 07:34:48
ESTES PESSOAS SÃO NASCIDAS EM JUNDIAÍ OU VIERAM PARA JUNDIAÍ????
Fabio 14/11/2017 07:55:18
A respeito da Sra. Maria Helena.. por qual motivo ela não recebe BPC ? Idade ja tem..
Natasha 14/11/2017 08:13:42
Mas é isso mesmo Prof Everton, comunismo sempre matou pela fome, vide a "Fome soviética de 1932–1933", as mortes provocadas pelo Khmer Vermelho, a situação precária de Cuba e Venezuela. Não é à toa que Jundiaí ficou nessa situação depois do desastroso governo dos vermelhinhos. O governo atual não consegue investir em nada pois está tendo que pagar as faturas e os carnês da farra vermelha.
MARIA 14/11/2017 09:08:16
Pois é Natasha, mas o Bolsa Família está sendo pago, então, o governo federal está fazendo a parte dele. O que o seu atual prefeito está fazendo pra melhorar a vida dessas pessoas. Se existe problema aí, com certeza não vem do Governo Federal.
jmls2510@gmail.com 14/11/2017 10:04:32
Grande parte dos favelados deixou terras de sua propriedade ou locais onde plantavam sua produção agrícola. Nos grandes centros, essas pessoas vão exercer funções mal pagas, muitas vezes em trabalho não regular. Quase toda a família trabalha, inclusive as crianças, freqüentemente durante o dia inteiro, e alimenta-se mal, raramente ingerindo o suficiente para repor as energias gastas. Nesse círculo vicioso, cada vez mais famílias se aglomeram nas cidades passando fome por não conseguir meios para suprir sua subsistência.

Reconhecemos que a própria “Constituição Cidadã de 1988 inova, em seu Preâmbulo, ao tratar da erradicação da pobreza e da marginalização”, mas, infelizmente, temos ainda “um longo caminho a percorrer, pois, os governos pouco fizeram no campo dos direitos sociais, conformando-se antes a uma agenda monetarista e colocando a política financeira acima do desenvolvimento da cidadania”.

“Garantir o alimento para todos, superando a miséria e a fome, exige de cada um de nós
edvaldo oliveira faria 14/11/2017 12:00:35
TUDO ISSO TEM QUE SER ANALIZADO,O QUE NÃO SE PODE É DEIXAR AS PESSOAS MORREREM, DE FOME.
ALEXANDRE FORNEIRO JARRETE 14/11/2017 17:36:48
Publiquem um forma de contato com essas pessoas. Num pais que joga 33% de sua comida no lixo, ler essas coisas me faz entender porquê nem OVNI’s vem mais visitar a Terra.
Francisco 14/11/2017 23:07:00
o governo golpista cortou verbas de projetos sociais e tem coxinha criticando o PT
Renato 15/11/2017 16:01:16
Engraçado na linha da pobreza com seis (6) filhos, sem comentários!!!
Natasha 16/11/2017 07:53:08
Enquanto as pessoas acharem que alguma coisa é de graça; enquanto acharem que governo dá as coisas; enquanto acharem que político é bonzinho; NADA IRÁ PARA A FRENTE! Entendam que QUEM PAGA OS PROJETOS SOCIAIS SÃO OS PAGADORES DE IMPOSTOS. Político não dá nada de graça. Tudo isso saiu do bolso de quem paga imposto, que podia estar usando para consumo, investimento, tudo isso geraria emprego. Assumam suas responsabilidades. Colocar um monte de filho no mundo é fácil e divertido, e depois fica pedindo bolsa disso, bolsa daquilo.
Maria Fernanda 16/11/2017 09:18:11
Não sei o que é pior, a situação de abandono dessas famílias ou os comentários horrorosos. Jundiaí é realmente uma cidade perversa.
Felipe 16/11/2017 09:20:32
Pois é, conforme a propria reportagem disse, pessoas VOLTARAM à pobreza Agradeçam às milhares de pessoas que saíram às ruase bateram panela pedindo que Dilma saísse (mesmo sem prova alguma de corrupção) e pedindo que a coligação Temer/Aecio/PMDB/PSDB/MBL/Vem pra Rua/Globo/Veja/Jovem Pan assumisse o país. Agora tomem. Esses só governam para bancos, empresas multibilionarias, ricassos e perdoa as dividas deles e depois cobra da população (aumenta impostos, como gasolina e gás).
Priscila 16/11/2017 19:48:19
Felipe, está muito cedo pros vermelhinhos botarem a culpa da desastrada política do PT no vice deles.
Dalila 17/11/2017 10:50:01
Pessoas que recebem 1/4 do salário minimo, podem ter direito ao beneficio Loas.

Procurem seus direitos! Pois tem muitos que nem sabem desse benefício que ajuda muito.

MARIA 17/11/2017 14:30:03
ENGRAÇADO, 06 FILHOS .. SE NÃO TEM PRA COMER PORQUE FAZ TANTO FILHO?
Rafao 18/11/2017 10:18:16
Isso não é só culpa do PT como muitos pensam, e sim da classe politica em geral q está unida cumprindo ordens do foro de sp para implantar o comunismo aqui no Brasil, e se o povo não se unir e acabar com isso de uma vez em breve todos vamos chorar lagrimas de sangue.
Bike Racional 18/11/2017 19:07:16
Ingratidão familiar, descaminhos e até exploração, pode ter muita coisa aí. O que não pode é passar fome. Salve, Josué de Castro... renda mínima seria algo a se pensar, como discutem até na Suíça. É uma pena o grau do debate a que chegamos.
Pamela 19/11/2017 18:00:53
Eu acho engraçado, na hora de torrar dinheiro com copa do mundo, refinaria, odebrecht, venezuela, cuba, aí é lindo. QUANDO O DINHEIRO ACABA, aí é culpa dos outros. Esquerdismo realmente é doença.
Maria Ines 19/11/2017 18:29:11

Essa senhora tem direito a receber um salario minimo.
Pela idade. Não teria um advogado pra ajuda-la?
Itapores 19/11/2017 21:37:10
Parabéns "trouxinhas" vocês conseguiram; uma grande parcela da população está voltando novamente a pobreza absoluta... Invés de ficarem defendendo esse lixo de governo que aí está assumam a porcaria que fizeram.
Fabio 22/11/2017 14:26:37
Quanto a sra. Maria, ela mora com o marido.. provavelmente ele ja recebe algum beneficio e por isso a Sra. Maria não tem direito. Quanto ao voltar a linha de pobreza, bom, pode-se acordar cedo e ir para a fila das agencias. Também pode ir numa lan house e entrar nos sites da empresas e se cadastrar no TRABALHE CONOSCO. Se não tem escolaridade, na Argos, é gratuito. Concurso publico só depende de si mesmo, basta estudar. Opção tem, falta atitude/correr atras e não ficar esperando o "carregamentalismo/assistencialismo/compra de votos disfarçada que vem do governo.
Seu telefone e e-mail NÃO serão publicados!
* Campos obrigatórios! (caracteres restantes: 1000)
Li e estou de acordo com os termos e condições de uso do portal.
Outras notícias sobre JUNDIAÍ LISTAR TODAS
JORNAL DE JUNDIAÍ
política de privacidade anuncie conosco
editorias



Empregos e Concursos
Especiais


Motor
Mundo
Opinião
Polícia
Política
Repórter JJ
Turismo
cidades
Jundiaí
Região
entretenimento

Cultura & Lazer
Théo Faz & Acontece
esportes
tv jj


Na Ponta da Língua
Notícias
Periscope
Salão Duas Rodas

grupo jj
Fale Conosco
Repórter JJ
Quem Somos
Expediente
Anuncie
Assine o Jornal
Gráfica JJ
Termo e
Condições de Uso
2014 © Jornal de Jundiaí - Todos os direitos reservados.
Acesse:
Projeto Gráfico: Marcelo Savoy | Desenvolvimento: //sithes.com