OPERAÇÃO PARNAÍBA

Alunos da FMJ participam do ‘Projeto Rondon’ no Piauí

Depois de três anos, a Faculdade de Medicina de Jundiaí (FMJ) volta a ser selecionada para participar do Projeto Rondon. Este ano, a FMJ foi classificada para participar do projeto na “Operação Parnaíba” com a missão de capacitar professores, agentes municipais de saúde, crianças, adolescentes, adultos e idosos na cidade de Porto, no Piauí. As atividades acontecerão de 21 a 31 de janeiro de 2019.

De acordo com a professora Mércia Breda Stella, o processo seletivo para escolher os alunos participantes foi realizado em setembro. O primeiro passo da seleção foi uma palestra explicativa sobre o projeto, da qual participaram todos os 65 inscritos. “Depois, os alunos passaram por entrevista e, então, uma comissão de professores analisou os candidatos. Só então saíram os oito classificados que vão para a Operação Parnaíba”, explica a professora, destacando que os alunos também já participaram de reuniões de capacitação para a viagem.

Uma das selecionadas foi a estudante Lívia Harumi, de 21 anos. Ela conta que sempre sonhou em participar desse projeto. “Essa é uma oportunidade incrível e única de ajudar o próximo e contribuir com a sociedade”, diz a estudante. Já Larissa Fernanda Filier, de 22 anos, conta que começou a se interessar pelo projeto desde quando entrou no curso, em 2016. “Eu já conhecia o projeto antes de entrar na faculdade e, na realidade, ele influenciou bastante minha escolha pelo curso de medicina”, revela.

A estudante também relata que ficou muito feliz em ter sido uma das classificadas para essa edição. “Considero a experiência do Rondon uma das maiores conquistas pessoais de minha vida e estou bastante ansiosa e animada.”  O professor Heryck José Stella, coordenador de equipe da FMJ, já visitou a cidade de Porto em setembro. “Essa viagem precursora reuniu os coordenadores de cada equipe, conhecemos os gestores do município, como funciona o local e a realidade do lugar”, relata o coordenador.

O Projeto
Criado em 1968 pelo Ministério da Defesa, em parceria com governos estaduais, municipais e instituições de Ensino Superior públicas e privadas. O ministério escolhe a região que será assistida com base do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Após definirem o local escolhido, os organizadores do projeto visitam o município e verificam quais as condições do lugar. No caso específico de Porto, há o apoio das universidade de Caxias do Sul (UCS) e da FMJ.

Foto: Rui Carlos

COMENTE

Loading Facebook Comments ...

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *