OPINIÃO

Espaço do Cidadão – 07/12/2018

SOBRE A COLUNA DO DR. MARTINELLI DO ÚLTIMO DOMINGO, “FAMÍLIA SEMPRE IMPORTANTE À ORDEM SOCIAL”: O dr. João Carlos José Martinelli, integrante de uma família tradicional de Jundiaí, de uma formação respeitosa nos setores sociais, educacionais , religiosos, exemplos edificantes provenientes do exemplar homem de bem, o progenitor dessa digna família o comendador Hermenegildo Martinelli, ilustre cidadão jundiaiense, emérito atuante na caridade e benefícios inúmeros em prol dos necessitados na constante solidariedade! Com todos méritos também o dr. João Carlos José Martinelli comemora data importante que acontece em 8 de dezembro “Dia Internacional da Família”. Objetivando destacar a importância do Instituto como o primeiro grupo social do qual desde o nascimento tomamos parte e como o mais antigo agrupamento humano, constituindo-se ainda no núcleo vital da coletividade. Infelizmente, fatores contribuem enfraquecendo a identidade da família brasileira; agressões nos meios de comunicação social, publicidade permissiva e da difusão do uso descartável da sexualidade.Necessários lutar para sua estabilidade em prol da própria ordem social.A família garante a sobrevivência do indivíduo e providencia para ele o sentido da sua identidade. Às suas finalidades principais – a procriação e amor recíproco – aparece a circunstância eminentemente social que a torna um centro de socialização, formação pessoal em todos os níveis não se esgotando no aspecto biológico, abrangendo também o moral, o psíquico, o espiritual, etc. Afirmação de Plínio Sampaio, “a família é que providencia para o ser humano o sentido de sua identidade, do seu ser – pessoa, da sua singularidade e particularidade no corpo social” (revista Família Cristã, 03/1985). Exige-se da família atitudes coerentes no processo de formação, em que a pessoa aprende a sentir-se sujeito dos direitos e deveres, a se libertar do egoísmo, cresce na fé, se adestra enfim, para contribuir ativamente na construção de um novo corpo social. Epílogo do excelente texto do Martinelli. Vale reiterar que, partindo da concepção de que se situa na origem não só da existência, como também do desenvolvimento pessoal, estamos diante de uma entidade jurídica que não pode ser vista como algo descartável ou ultrapassado. Ao contrário, ela se insere numa realidade muito concreta, na qual lhe cabe o importante papel de participação na formação de indivíduos aptos a viverem em agremiação e contribuírem para seu aperfeiçoamento. Parabéns Martinelli!
Adão Antônio Motta

COMENTE

Loading Facebook Comments ...

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *