ASTRONOMIA

Espaço do Cidadão – 17 de maio de 2018

VÊNUS E JÚPITER VISÍVEIS NO INÍCIO DA NOITE: No início destas noites, já por volta das 18h30, quem olhar para o céu poderá ver dois planetas bem brilhantes. Olhando para os lados do oeste ou poente, logo após o pôr do Sol, pode-se notar um astro bem brilhante – o planeta Vênus. Do outro lado, no leste ou nascente, pode-se observar outro astro brilhante – o planeta Júpiter. Com o passar das horas Vênus logo se põe, enquanto Júpiter pode ser visto durante a noite toda.

Os planetas são observados mais ou menos brilhantes por causa de suas distâncias e tamanhos. Vênus está muito brilhante porque está a “apenas” 209 milhões de quilômetros, enquanto Júpiter está a cerca de 660 milhões de quilômetros. Ocorre que Vênus tem um tamanho muito parecido com o do nosso planeta, enquanto Júpiter é cerca de 1.300 vezes maior que a Terra, sendo o maior de todos os planetas. Por isso é chamado de “Gigante dos Mundos”.

Além disso, no dia 8 de maio, Júpiter esteve em oposição, ou seja, oposto ao Sol. Explicando de maneira simplificada, como os planetas têm órbitas em torno do Sol quase no mesmo plano, podemos representar suas trajetórias como sendo dois círculos com o mesmo centro, sendo a órbita interna a da Terra e a externa, a de Júpiter.

De maneira aproximada, se considerarmos a Terra num determinado ponto de sua órbita, o ponto em que Júpiter estará mais próximo a ela é aquele em que está do lado oposto ao Sol. Contudo, a rigor, como as órbitas dos planetas não são perfeitamente circulares, mas elípticas, a data de maior aproximação entre eles ocorreu no dia 10 de maio.

Estes planetas são pontos vistos a olho nu, mas observados com pequenos instrumentos podem mostrar características muito interessantes. Vênus, em certas épocas, pode ser visto em fases, como a Lua. Júpiter, por sua vez, pode ser visto acompanhado de quatro de suas maiores luas, descobertas por Galileu em 1610, quando pela primeira vez observou o planeta com a uma pequena luneta.

As observações das fases de Vênus – assim como o movimento das luas ao redor de Júpiter – contribuíram para reforçar o sistema Heliocêntrico de Copérnico, no qual a Terra e os demais planetas giram ao redor do Sol.

Estudando mais de perto esses planetas, sabemos que Vênus tem uma espessa atmosfera feita principalmente de gás carbônico, o que leva ao efeito estufa e faz com que sua temperatura chegue a cerca de 470ºC, superando a de Mercúrio, que está mais próximo ao Sol. Júpiter por sua vez é praticamente todo gasoso, feito principalmente de hidrogênio, amônia e metano, gases irrespiráveis para nós seres humanos. A temperatura nas suas nuvens chega a – 145º

Prof. Paulo Sergio Bretones – DME/UFSCar

COMENTE

Loading Facebook Comments ...

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *