Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Na hora da provação?

DOM VICENTE COSTA | 19/05/2019 | 07:30

A provação faz parte da vida. Todos nós, em algum momento, somos provados de uma forma ou outra. As provações fazem parte do ritmo e da dinâmica da existência humana e, muitas vezes, nós temos muita dificuldade para lidar com problemas e conflitos que nos afetam ou atingem pessoas ligadas ao nosso convívio, pessoas queridas e amadas.
São muitos os pais que choram e sofrem pelos problemas vividos pelos seus filhos. Filhos que sofrem pelos pais. Irmãos que assumem para si a dor do outro. Os sofrimentos chocam-nos e nos fazem experimentar a impotência diante de uma situação desfavorável. Sempre vou lembrar-me da frase de uma mãe, quando soube da enfermidade da sua filha: “Eu preferiria que a enfermidade da minha filha tivesse me atingido. Se fosse possível fazer uma troca, eu não pensaria duas vezes. Prefiro eu sofrer que ver a minha filha sofrendo”. Seguramente centenas de pais e mães já pensaram assim. Sendo assim, o que fazer nas horas de agonia e desalento?
Primeiramente, precisamos lutar contra o desespero. A esperança será sempre uma luz norteadora em nosso caminho. Desesperar significa abandonar a força que vem da esperança. O desespero nos torna prisioneiros do medo e da insegurança. Tem razão o autor do pensamento que diz: “Enquanto houver um por cento de chance, eu terei noventa e nove por cento de esperança”. As pessoas de fé tornam-se ousadas e aguardam sempre que a situação difícil mude para melhor. Neste sentido, nem o desespero, nem a revolta e nem o desânimo encontrarão espaço num coração que crê, espera e confia que toda provação passa. Por maiores que sejam as provações, ainda assim, devemos cultivar a certeza de que elas poderão se transformar nas maiores conquistas da nossa vida.
Na hora da provação, penso que podemos e devemos recorrer a três virtudes, verdadeiros dons divinos, dons do céu. São elas: sabedoria, discernimento e fortaleza. Com a sabedoria descobrimos o que fazer na hora da dor, do sofrimento, da tribulação, enfim, na hora da provação. É muito recomendável imitar o rei Salomão, que pediu a Deus: “Dá-me a sabedoria” (Sb 9,4). Junto da sabedoria, precisamos ter discernimento, pois, se a sabedoria nos indica o que fazer, o discernimento ajuda-nos a descobrir a maneira certa de como fazer. A Bíblia Sagrada diz: “Concedeu aos humanos discernimento, língua, olhos, ouvidos e um coração para pensar; encheu-os de inteligência e instrução” (Eclo 17,5). Por fim, em todas as horas da vida, precisamos ter fortaleza. A fortaleza é que nos conserva sempre firmes, mesmo quando estamos fragilizados. De fato, a fortaleza nos mantém guerreiros e valentes diante das muitas tribulações. “Agirei confiante e nada temerei, pois o Senhor é minha força e meu louvor, Ele tornou-se a minha salvação” (Is 12,2). Com sabedoria, discernimento e fortaleza, teremos clareza do que fazer e como fazer na hora da provação!

DOM VICENTE COSTA é bispo diocesano de Jundiaí.

T_T_DOM_VICENTE


Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/na-hora-da-provacao/
Desenvolvido por CIJUN