PARTIDO NOVO EM JUNDIAÍ

Ex-técnico da seleção de vôlei, Bernardinho faz discurso contra salvadores da pátria em Jundiaí

Ex-técnico da seleção brasileira de vôlei e embaixador do Partido Novo, Bernardinho esteve em Jundiaí na noite de ontem para apresentar a palestra “A renovação que buscamos em 2018” junto ao pré-candidato a governador de São Paulo, Rogério Chequer, e ao cientista político e postulante a um cargo no Senado, Christian Lohbauer. Ao Jornal de Jundiaí, Bernardinho se diz preocupado com a parte da população que espera um salvador da pátria. “Não existe alguém que vá resolver tudo. A gente só vai mudar o Brasil quando assumirmos nossas responsabilidades. Cada um de nós é um salvador da pátria”, afirmou. Durante sua palestra, o ex-técnico deu vários exemplos de como costuma motivar seus jogadores a ter espírito de equipe e lutar, juntos, por um objetivo em comum. Ele mostrou ao público o mesmo vídeo que mostrou aos jogadores da seleção em 2016 antes de um jogo olímpico contra a França, que ele definiu como o mais tenso de sua carreira.

CLIQUE AQUI E CONFIRA OUTRAS NOTÍCIAS DE POLÍTICA

LEIA TAMBÉM OS DESTAQUES DA COLUNA PELA ORDEM

“Ou vivemos como um time ou morremos como indivíduos. Essa é a frase mais importante deste vídeo para mim”, conta. Bernardinho ainda falou sobre liderança e a importância da integridade. “Essa sensação de vácuo na liderança vem da falta de respeito, da falta de valores. O líder é um guardião de valores, a integridade é sua base”, diz. “Se você lidera uma equipe e as pessoas param de te procurar, fique preocupado. Ou elas acham que você não tem capacidade para resolver ou, pior, elas acham que você perdeu o interesse em ajudá-las”. Ele diz, também, que não aceitou ser pré-candidato ao governo do Rio de Janeiro por não se achar capaz para ocupar o cargo. “Estava gerando uma expectativa enorme, mas não tenho condições de gerir um estado. Quem dirá um como o Rio de Janeiro”, confessou.

Fundo partidário

O não uso dos recursos públicos pelo partido também foi repetidamente enfocado como o grande diferencial da legenda. O pré-candidato a deputado federal de Jundiaí e mediador do evento, Edney Duarte Jr., calculou o que poderia ser feito com o dinheiro do fundo eleitoral. “Seria possível comprar três ambulâncias ou cinco carros policiais para cada um dos 5 mil municípios brasileiros”, disse. Christian Lohbauer falou das dificuldades de iniciar o partido. “Temos quatro saídas para o Brasil: sair do país, aplicar um golpe, esperar sentado ou entrar para o jogo. Mas como 94% da população não crê mais nos partidos, resolvemos fundar o nosso”, contou ao JJ. “Queremos representar o pagador de impostos”.

Perguntado sobre sua avaliação do governo de Temer (MDB), o cientista político e pré-candidato ao Senado, Christian Lohbauer, do Novo, diz que ele fez mais pelo Brasil do que os últimos 15 anos de governo petista. “O teto de gastos e a reforma trabalhista são uma vitória. Diria que o Brasil estava morrendo de câncer terminal – o país ia quebrar de verdade – e, com uma quimioterapia violenta, Temer conseguiu deixá-lo na UTI”. “Acredito que estamos aqui hoje porque não aguentamos mais sermos governados por pessoas que deveriam nos servir, mas estão servindo a si mesmos”. Foi assim Chequer deu início a sua fala durante a palestra de ontem. Para ele, é necessário que a máquina pública seja oxigenada para ter real liberdade de governar. “A velha política vem mostrando que só consegue negociar a partir do rabo preso”, critica.

Rogério Chequer, Christian Lohbauer e Bernardinho no evento do Partido Novo em Jundiaí

Fotos: Bárbara Nóbrega Mangieri

COMENTE

11 pensamentos sobre “Ex-técnico da seleção de vôlei, Bernardinho faz discurso contra salvadores da pátria em Jundiaí

  1. Engraçado! O partido se autodeclara neoliberal, mas expor aqui as ideias fundadoras do neoliberalismo ofende essas pessoas… seriam neoliberalistas apenas quando convém? Postura muito “nova” realmente…

  2. Porque bloquearam meus comentários? Falei algum palavrão ou algo que não possa ser dito aqui? Um deles coloquei o link de um outro site, ok, tudo bem, mas, e o outro? Lamentável Jornal de Jundiaí…. Só comentários contra o partido podem ser colocados aqui?Vergonhoso

  3. Conheço muito bem o fundador das ideias que esse partido segue, se chama Milton Friedman, pai do neoliberalismo econômico -e suas ideias de estado minimo, que incluem: o fim do SUS, fim da educação publica, ao invés de aprimorá-la, fim do Inss, e fim de toda e qualquer lei trabalhista, inclusive Milton Friedman era contra salário mínimo. Portanto, não há nada novo nessas ideias, sinto muito.

  4. Caro Roberto,

    Em primeiro lugar quero convidá-lo a conhecer o partido Novo.
    Não sei de onde tirou essas ideias distorcidas a respeito do Novo, elas não procedem.
    Depois, com relação ao conteúdo da apresentação, é impossível em 2 horas abordar todos os temas referente a um Brasil tão carente em tantas áreas, haja vista que quem esteve no poder nos últimos anos ficou apenas nas ofensas repletas de gritaria sem fundamentação. Atacar sem conhecer é uma prática no mínimo ultrapassada. Fica aqui o nosso convite para juntos reconstruirmos o Brasil.

  5. Esse é o partido autointitulado novo, que defende menos SUS e mais planos de saude, ataca a previdência pública defendendo previdencia privada e não cita uma vírgula sobre o fato de 52 por cento do orçamento federal ser destinado a pagamento para banqueiros donos de papeis de uma divida pública de origem desconhecida, na qual o governo não dá publicidade sobre sua origem, repito, 52% de todos os nossos impostos!! E sem transparência nenhuma. Não há nada de novo no front…

    • Fala sério cara… essa conversa sua não cola, o partido defende exatamente que o governo tem que se preocupar em gerir Saude, educação e segurança pública e cuidar da economia e não ficar cuidando de empresas, e tu fala uma bobagem dessas? Se fossem falar de cada problema no Brasil, ficariam uma semana fazendo a palestra, mas, acho que é necessário para pessoas como você, precisa desenhar. Segundo, a origem da dívida que se paga a banqueiros, é justamente proveniente de péssimas administrações populistas, politicas de subsidios, onde o governo gasta mais do que arrecada. Problemas tem de ser atacados na origem e não com medidas paleativas. Tente usar um pouco de raciocínio e entender as coisas com mais profundidade antes de comentar assuntos que não conhece…

Comente

Loading Facebook Comments ...