Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Reunião de sindicato termina na delegacia em Jundiaí

BÁRBARA MANGIERI | 24/04/2018 | 07:41

A última reunião do Sindicato dos Servidores Públicos de Jundiaí (Sindserjun) expôs um racha dentro da entidade. Segundo André Aparecido Cazella, vice-presidente da entidade, alguns diretores protocolaram um ofício solicitando a relização de uma assembleia geral extraordinária para o dia 26 de março. O intuito era alterar o estatuto para criar um conselho gestor para aprovar as decisões de forma colegiada. “Achamos isso necessário para coibir algumas atitudes autoritárias do presidente, Márcio Cardona”, disse. “Quando o presidente não convocou a reunião, nós mesmos decidimos realizar o encontro no dia 19 de abril, conforme o estatuto”, continua. Cardona entrou na Justiça para impedir que a reunião ocorresse mas, no dia 16, a juíza Maria Claudia Moutinho Ribeiro indeferiu o pedido. O presidente fez um novo pedido de suspensão à Justiça no dia 17, que voltou a ser negado no dia 18. No dia da assembleia, segundo André, os diretores foram recebidos pela Força Sindical. “Rasgaram nossa lista de presença e nos tiraram do sindicato a tapas e socos”, afirmou. Com o impedimento, os diretores convocaram a Polícia Militar e a Guarda Municipal para oferecer proteção e realizaram a assembleia na rua. “Aprovamos a alteração do estatuto e logo em seguida nos dirigimos à delegacia para fazer um boletim de ocorrência”, disse.

DSCN6636

De acordo com o BO, um dos integrantes do Sindserjun que estava presente para participar da assembleia foi atingido com um soco nas costas e outro foi ferido no pescoço. Ambos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) para a realização de exame de corpo de delito. Cardona, por sua vez, afirmou que ele mesmo chamou a PM e a GM e que as autoridades aconselharam a não realizar a assembleia dentro do sindicato. Ele disse que uma reunião para discutir o assunto já estava marcada para junho, após a negociação da campanha salarial. O JJ teve acesso a um vídeo que corre pela internet onde Cadorna se coloca contra a realização da assembleia por ser um “momento inoportuno para tal”. “Não reconheço a votação dessa assembleia. As alterações devem ser analisadas por uma comissão, debatida com a categoria e só então aprovada por uma assembleia”, diz ele, que assumiu o compromisso de dar continuidade ao assunto após a campanha salarial. (BNM)


Link original: https://www.jj.com.br/politica/reuniao-de-sindicato-termina-na-delegacia-em-jundiai/
Desenvolvido por CIJUN