RAIO-X DO FUNCIONALISMO

Gasto com pessoal supera limite em Várzea e Campo Limpo

O gasto com o funcionalismo público em duas cidades do Aglomerado Urbano de Jundiaí (AUJ) supera o limite estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal. Em Várzea Paulista, 51% do orçamento municipal é gasto com a manutenção dos servidores locais. Já em Campo Limpo Paulista, o gasto com pessoal chega a consumir 53% do orçado. Segundo a legislação, o máximo permitido para sustentação do funcionalismo é 49% do orçamento total.

Enquanto Várzea e Campo Limpo Paulista sofrem com gastos excessivos, Ministério Público viu irregularidades em cargos de Louveira, Jundiaí e Cabreúva

Em Campo Limpo, a prefeitura informa que existem 2.350 funcionários públicos, dos quais 2.120 são concursados e apenas 210 seriam comissionados. A administração afirma que o prefeito Japim de Andrade (PSB) não tem medido esforços para realizar ações que aumentem a receita do município, como a recuperação de dívidas via protestos e a conquista de verbas estaduais e federais.

A Prefeitura de Várzea Paulista informou, apenas, que a cidade possui 2.186 funcionários. Não se sabe quantos são cargos eletivos e quantos são de livre provimento, nem se a administração pretende diminuir o quadro interno.

CARGOS IRREGULARES

Em Louveira, Cabreúva e Jundiaí, o Ministério Público de São Paulo (MP-SP) encontrou irregularidades nos títulos ou descrições de alguns cargos de livre provimento.

Em junho de 2017, o Procurador-Geral de Justiça Gianpaolo Smanio apresentou uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) para averiguar os seguintes cargos em Cabreúva: Assessor de Governo, Assessor de Planejamento e Convênios, Assessor Jurídico, Comandante do Corpo de Bombeiros Civil, Coordenador de Defesa Civil, Corregedor da Guarda Municipal e Diretor de Divisão.

A lei que estabelece os cargos foi suspensa com uma liminar cedida pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) em agosto. O prefeito Henrique Martin (PDT) apresentou, então, uma nova reforma administrativa. Com isso, a Adin foi extinta em julgamento na última quarta (18).

O mesmo deve acontecer em Jundiaí, onde o MP-SP viu irregularidades nos cargos de Coordenador Executivo de Cidadania, Coordenador do Procon e Diretor do Departamento para Assuntos de Cidadania, e também nas atribuições do Gestor da Unidade de Negócios Jurídicos e Cidadania.

O julgamento da Adin teria sido no último dia 11 de abril, mas a prefeitura fez um pedido de suspensão. No meio tempo, uma nova reforma administrativa foi enviada à Câmara Municipal e aprovada pelos vereadores em sessão extraordinária na última terça (17). Ninguém foi exonerado com a medida, que deve garantir a extinção da ação.

Em Louveira, foram encontradas irregularidades nos cargos de Assessor Técnico De Gabinete Da Presidência, Assessor Técnico De Gestão Legislativa e Diretor Jurídico Legislativo. O TJ-SP julgou a ação procedente em parte, ou seja, foi constatada a inconstitucionalidade do Assessor Técnico De Gestão Legislativa e do Diretor Jurídico Legislativo, apenas. A prefeitura não informou se os cargos foram exonerados ou não.

COMENTE

Loading Facebook Comments ...

8 pensamentos sobre “Gasto com pessoal supera limite em Várzea e Campo Limpo

  1. VEJA EM VÁRZEA PAULISTA OS COMISSIONADOS. DEVEM ULTRAPASSAR OS CONCURSADOS; O MINISTÉRIO PUBLICO DEVERIA INVESTIGAR A PREFEITURA DE VARZEA. PAULISTA .

  2. O dinheiro é do povo e não deve ser desperdiçado com funções desnecessárias que não tem resultado direto para população. Atividades de governo devem ser executadas por trabalhadores e trabalhadoras concursadas e nada de criar cargos especiais. Os Prefeitos devem ser pessoas preparadas para administrar, todos que assumem ficam reclamando do anterior. O povo não aguenta mais pagar essa conta e essa perda de tempo, é necessário que os políticos façam Política Pública e não parar ou estragar o que o antecessor estava fazendo de bom, costuma-se gastar uma fortuna para estudos intermináveis sempre do mesmo assunto e nunca tem resultado.

  3. Jundiaí deu um jeitinho e não exonerar ninguém, prefeito e vereadores mantém cabide com nosso dinheiro e as necessidades da população que espere.

  4. Jundiaí partiu para o jeitinho e não exonerar ninguém, prefeito e vereadores mantém cabide com nosso dinheiro e as necessidades da população que espere.

  5. Famoso cabide de emprego. Campo Limpo nao tem 100 mil habitantes, e tem quase 3 mil funcionários de uma prefeitura que não faz NADA. Bizarro

  6. A cegueira política faz com que políticos irresponsáveis sejam eleitos continuamente (elegem aquele que está em voga), aí chega um momento que a coisa transborda e vaca vai pro brejo.

    Quem vota em um candidato sem saber quem ele é ou por causa de pesquisa acaba elegendo lixo, portanto é tão responsável pela má administração quanto o eleito.

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *