DANÇA DAS CADEIRAS

Vice de Cajamar é cassada e presidente da Câmara vira 12º prefeito em 5 anos

A dança das cadeiras em Cajamar ganhou um novo capítulo nesta terça-feira (6), com a cassação da chapa da prefeita Paula Ribas (PSB) e a vice Dalete de Oliveira (PCdoB). Com a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o presidente da Câmara Municipal, Eurico Missé (DEM), deve assumir o comando da cidade até que novas eleições sejam convocadas.

Dalete já estava no comando da cidade desde outubro de 2017, quando a Justiça tirou Ribas do cargo por conta de um processo criminal que corre em segredo judicial. Em paralelo, corria um processo eleitoral contra a chapa por prática de abuso de poder político e econômico nas eleições de 2016.

O tribunal considerou que Paula Ribas e sua vice Dalete se beneficiaram de obras de pavimentação e recapeamento de dezenas de ruas do município nos meses que antecederam as eleições com claro objetivo de influenciar o resultado do pleito e desequilibrar a disputa eleitoral.

A Corte assinalou ainda que a prefeita aproveitou-se das obras para realizar propaganda massiva em favor de sua chapa por meio de redes sociais e do jornal do Partido Socialista Brasileiro (PSB), que distribuiu 10 mil exemplares em um município com 57 mil eleitores, o que teria alcançado quase 20% do eleitorado local.

Em decisão unânime, a Corte manteve ambas inelegíveis por oito anos e determinou a execução imediata da decisão logo após ser publicada. A partir daí, o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) tomará as providências cabíveis para realizar novas eleições no município. As informações foram divulgadas no site oficial do TSE.

Com a decisão desta terça, o plenário julgou prejudicada a liminar, concedida pelo ministro Admar Gonzaga, para que Dalete de Oliveira permanecesse no cargo de vice-prefeita até o julgamento dos recursos no TSE. Procurada, a assessoria de imprensa da Prefeitura de Cajamar afirmou que não foi notificada pela Justiça e que não presta esclarecimentos políticos, apenas sobre os serviços da cidade.

CAOS POLÍTICO: Um prefeito a cada 6 meses
Envolta em escândalos de corrupção e caos político, Cajamar já foi comandada por 11 pessoas diferentes nos últimos cinco anos. Desde 2013, o troca-troca já fez até com que a procuradora do município assumisse o comando da cidade. Em fevereiro, o Ministério Público (MP) ainda determinou a exoneração de 658 cargos comissionados, prejudicando diversos serviços municipais.

Foto: Jornal de Jundiaí

COMENTE

Loading Facebook Comments ...

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *