Acervo

Anvisa aprova três novos testes para diagnóstico do novo coronavírus


T_AnvisaTestes
Crédito: Reprodução/Internet
A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou nesta segunda-feira (23) o registro de três novos testes para diagnóstico de infecção pelo novo coronavírus. Dos novos testes, dois são moleculares e usam uma técnica conhecida como PCR, que verifica a presença de material genético do vírus em amostras das vias respiratórias de pacientes. Um terceiro teste aprovado usa uma pequena amostra de sangue para detectar a presença anticorpos contra o vírus –é o popular teste rápido. Em geral, esse tipo de teste leva entre 10 a 30 minutos para obter resultados. Já os testes com PCR levam em torno de quatro horas (somados outros processos, porém, o prazo sobe para até dois dias). O grau de precisão, porém, é maior em testes de PCR, porque o corpo demora um tempo para produzir os anticorpos detectados nos testes rápidos. O prazo é de cerca de cinco dias, de acordo com laboratórios que fornecem esse tipo de exame. Com isso, a recomendação é que esse teste seja aplicado com base em protocolos específicos e análise após sintomas, para reduzir o risco de resultados negativos em pessoas com o novo coronavírus. Na última semana, a Anvisa já havia aprovado outros oito registros de testes rápidos para venda no país a laboratórios e serviços de saúde. Com isso, já são 11 testes aprovados. Nenhum deles tem oferta direta ao consumidor –o material é direcionado a serviços de saúde. As medidas ocorrem em um momento em que o Ministério da Saúde enfrenta críticas pela decisão de concentrar exames apenas em casos graves, como pacientes internados. A pasta também anunciou que irá distribuir aos estados cerca de 5 milhões de testes rápidos a serem importados da China. O uso, no entanto, será restrito para diagnóstico de profissionais de saúde em isolamento por suspeita de infecção pelo coronavírus.

Notícias relevantes: