Acervo

Brasil chega a 100 mil vidas perdidas para a covid-19

O Brasil ultrapassou hoje (8) as 100 mil mortes causadas pelo novo coronavírus e, em muitas cidades, vive a reabertura: praias cheias, bares abertos, jogos de futebol, tudo com máscaras e distanciamento social. Impactados pela crise, muitos voltam ao trabalho presencial. Para alguns, o isolamento jamais foi uma opção. Com o registro de 538 novas mortes desde a véspera até 13h30 deste sábado, o país soma assim 100.240 mortos pela doença, segundo dados coletados com as secretarias estaduais da saúde pelo consórcio formado por Folha, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, o Globo e G1. O número de casos registrados, por sua vez, beira os 3 milhões, com 21.732 novas notificações e um total de 2.988.796 pessoas que tiveram a infecção confirmada, mas é provável haver subnotificação. Com isso, o Brasil tem hoje cerca de 6,5% dos casos mundiais e 7,2% dos mortos pela doença no mundo, embora o país abrigue apenas 2,7% da população do planeta. "Vamos tocar a vida. Tocar a vida e buscar uma maneira de se safar deste problema", disse o presidente Jair Bolsonaro ao comentar os números em live na última quinta-feira (6). De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), só 324 das 5.570 cidades no Brasil têm população maior do que 100 mil habitantes, cerca de 6% do total de municípios. Ou seja, 94% das cidades teriam sido dizimadas caso todos os óbitos por covid-19 no país tivessem se concentrado apenas em seu território. JUNDIAÍ A Prefeitura de Jundiaí informa que, neste sábado (8), o município não contabilizou óbitos de residentes na cidade causados pelo Novo Coronavírus. Por isso, Jundiaí segue contabilizando 322 óbitos positivos para COVID-19 desde o início da pandemia.  

Notícias relevantes: