Acervo

Casos de intoxicação alimentar crescem 122%


2014-09-27_19-41-33_1
Crédito: Reprodução/Internet

O número de pacientes com intoxicação alimentar atendidos no Hospital do Coração (Hcor), em São Paulo, cresceu 122% entre os anos de 2009 e 2013, passando de 280 casos para 624 a cada ano. Para Daniel Magnoni, cardiologista e nutrólogo do HCor, isso decorre principalmente do fato de as pessoas estarem comendo cada vez mais fora de casa.

“As pessoas estão comendo cada vez mais fora de casa e sem os cuidados devidos. Isso pode representar a origem de muitas contaminações”, disse Magnoni, responsável pelo levantamento. “A falta de tempo para cozinhar, a distância entre local de trabalho e residência, além da crescente oferta de restaurantes por quilo, fast food e outros influenciam nesse padrão de comportamento”, acrescentou.

Dados do Centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo mostram que, entre 2011 e 2012, ocorreram 307 surtos de doenças transmitidas por alimentos (DTA) em todo o Estado, sendo que 282 deles foram casos de diarreia. Segundo a secretaria, considera-se surto quando uma ou mais pessoas apresentam a mesma doença após ingerirem água ou alimento da mesma origem.

Para evitar a intoxicação alimentar, o hospital orienta as pessoas que costumam comer fora de casa para que procurem estabelecimentos limpos e que evitem comer alimentos de origem animal na forma crua.

Também é importante verificar se os alimentos em bufês estão adequadamente refrigerados e evitar comer cremes e molhos para salada que não estejam sob refrigeração e sobremesas e bolos com recheios cremosos a base de leite e ovos.


Notícias relevantes: