Acervo

Entregadores de delivery reivindicam aumento do frete e EPI's para enfrentar coronavírus


O sindicato dos motoboys do Estado de São Paulo (SindimotoSP) promete realizar um protesto contra as empresas de delivery nesta segunda-feira (20), em São Paulo. Apesar do aumento da demanda pelas entregas de alimentos e de produtos durante a quarentena, os profissionais reclamam da falta de assistência. Segundo o presidente do sindicato, Gilmar Santos, a classe irá reivindicar aumento no valor do frete e fornecimentos de equipamentos de EPI's e de higiene. Os motoqueiros vão se reunir a partir das 10h em frente ao shopping Plaza Sul, no bairro da Saúde, em São Paulo. Já em meio à pandemia da Covid-19, o MPT (Ministério Público do Trabalho) emitiu, em março, nota técnica com uma série de medidas a serem tomadas pelas empresas de transporte de mercadorias e de passageiros por plataformas digitais. O documento exige que essas companhias forneçam, gratuitamente, para o entregador álcool em gel (70% ou mais), lavatórios com sabão e papel toalha, espaço e serviço de higienização para os veículos e água potável para o consumo desses profissionais. Sindicalistas e motoqueiros dizem que as regras orientadas pelo MPT ainda não foram cumpridas. A reportagem entrou em contato com as quatro plataformas digitais citadas no anunciado do sindicato, mas não houve retorno até a publicação deste texto.

Notícias relevantes: