Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Especialistas condenam palmada, mas dizem que lei não resolve

| 06/06/2014 | 16:56

O hábito de agredir fisicamente uma criança como forma de punição pode provocar sentimentos de inferioridade, baixa autoestima e submissão e não deve ser tolerado. Entretanto, sancionar uma lei que proíbe a agressão não resolve o problema, na avaliação de especialistas ouvidos pela Agência Brasil. A Lei da Palmada foi aprovada esta semana no Senado Federal.

 

“Entendemos que não é necessária uma lei para dizer que os pais precisam dar limites para os filhos. Bater na criança nunca é a melhor opção. O melhor é orientar, dizer quais são as regras, entendendo que todas as crianças precisam de limites. A Lei da Palmada não é para a criança fazer o que ela quer. Os pais continuam sendo a referência”, avaliou a presidenta da Associação Brasileira de Psicopedagogia, Luciana Barros de Almeida.


Link original: https://www.jj.com.br/brasil-e-mundo/especialistas-condenam-palmada-mas-dizem-que-lei-nao-resolve/
Desenvolvido por CIJUN