Acervo

Naomi Munakata, uma das principais regentes do Brasil, morre vítima de coronavírus


O Coro da Camerata Antiqua de Curitiba apresentará dois concertos com composições de música contemporânea sobre textos do poeta espanhol Federico Garcia Lorca. Foto: Divulgação
Crédito: Reprodução/Internet
A maestrina titular do Coral Paulistano, Naomi Munakata, morreu aos 64 anos nesta quinta-feira (26). Segundo informações iniciais das agências indicam que ela teve uma pneumonia causada por coronavírus. No último dia 19, seu teste para a covid-19 deu positivo. Mesmo tendo apresentado uma melhora no quadro clínico nos últimos dias, Munakata teve uma piora abrupta durante a noite, que evoluiu para um choque séptico. A maestrina morreu por volta do meio-dia. Por duas décadas, Naomi também foi regente do Coro da Osesp e foi diretora e professora da Escola Municipal de Música de São Paulo, diretora artística e regente do Coral Jovem do Estado, regente-assistente do Coral Paulistano e professora na Faculdade Santa Marcelina e na FAAM.

Naomi Munakata iniciou os estudos musicais ao piano com apenas quatro anos de idade e começou a cantar aos sete, no coral regido por seu pai – Motoi Munakata. Estudou violino, harpa e formou-se em Composição e Regência em 1978 pela Faculdade de Música do Instituto Musical de São Paulo, na classe de Roberto Schnorrenberg.

A vocação para a regência começou a ser trabalhada em 1973, com os maestros Eleazar de Carvalho, Hugh Ross, Sérgio Magnani e John Neschling. Anos depois, sua trajetória foi coroada com o prêmio de Melhor Regente Coral, concedido pela APCA – Associação Paulista dos Críticos de Arte.

[caption id="attachment_86153" align="aligncenter" width="1779"] Foto: Divulgação[/caption]

Notícias relevantes: