Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Mesmo com edital, ‘Mais Médicos’ deve continuar com déficit de profissionais

Folhapress | 16/11/2018 | 07:57

Mesmo que consiga preencher todas as vagas hoje ocupadas por médicos cubanos, possibilidade vista com desconfiança por especialistas, o Mais Médicos ainda deve continuar com um déficit de ao menos 2.091 profissionais até o início do próximo ano.

O valor corresponde ao total de vagas abertas desde o fim de 2017 com a saída de médicos que já encerraram os três anos de contrato para atuação no programa.

O problema é que, desde então, essas vagas ainda não foram preenchidas “”nem há prazo para isso.

Na quarta-feira (14), o governo de Cuba anunciou o fim da participação no Mais Médicos. A decisão ocorreu após o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), questionar a qualificação dos médicos cubanos e devido a sua intenção de modificar o acordo, exigindo revalidação de diplomas no Brasil e contratação individual.

No mesmo dia em que Cuba anunciou sua saída do programa, o Ministério da Saúde informou que lançará um edital emergencial de reposição.

De acordo com o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, essa chamada, no entanto, deve valer apenas para as 8.332 vagas abertas com a saída dos médicos cubanos.

Caso não preencha nenhuma das vagas disponíveis com o fim da cooperação com Cuba até o fim deste ano, o déficit total de médicos, somado aos 2.091 que já encerraram seus contratos com o programa, será de 11.423 profissionais.

mais-medicos


Link original: https://www.jj.com.br/brasil-e-mundo/mesmo-com-edital-mais-medicos-deve-continuar-com-deficit-de-profissionais/
Desenvolvido por CIJUN