Acervo

Onda de ataques atinge 10 cidades


A onda de ações criminosas contra o transporte coletivo, prédios ou veículos da polícia e agentes públicos de segurança se agravou entre a noite de segunda (29) e a manhã desta terça-feira (30). Os ataques estão espalhados por todo o Estado de Santa Catarina, já atingem dez cidades catarinenses e há o registro de ao menos uma morte, segundo balanço divulgado pela Polícia Militar. São 13 ônibus incendiados, ataques a cinco prédios da segurança pública do Estado e a dois veículos da PM.

Os ataques foram registrados em Florianópolis, São José, Palhoça, Tijucas, Gaspar, Navegantes, Itapema, Criciúma, Chapecó e Tapera. Até as 8h30 de segunda-feira, a corporação havia registrado 22 atentados. A Grande Florianópolis continua sendo a região mais atingida.

Na capital catarinense, um ônibus foi incendiado no início da manhã desta terça-feira (30), no bairro Tapera, no sul da ilha. O ataque ocorreu às 7h, uma hora depois de o transporte coletivo votar a operar - as linhas entre 0h e 6h estão suspensas desde o fim de semana.

Segundo a Polícia Militar, dois criminosos entraram no coletivo no início do trajeto. Só o cobrador estava no veículo. Ele conseguiu escapar por uma janela, de acordo com a polícia. No bairro Campeche, na mesma área da cidade, às 6h, uma base da Polícia Militar foi atingida por 14 disparos, segundo a corporação. Só havia um policial no local. Ele não se feriu.

Morte - Em Criciúma, no sul do Estado, um agente prisional aposentado foi assassinado na frente de sua casa, no bairro Pinheirinho, às 22h40 de ontem.
Luis Carlos Dalagnol trabalhou 37 anos no presídio da cidade e estava aposentado desde 2012, segundo a secretaria estadual de Justiça e Cidadania. 


Notícias relevantes: