Cultura

Escritoras lançam 'Nós, mulheres'

EMPODERAMENTO De Kahlo a Beauvoir, livros enfatizam mulheres na história


DIVULGAÇÃO
A intelectual Simone Beauvoir é uma das mulheres citadas na obra
Crédito: DIVULGAÇÃO

Famosas na literatura com romances e obras de não ficção, a portuguesa Rosa Montero e a carioca Mary del Priore voltam agora ao mercado editorial com a função de "reescritoras". Na pauta, a ânsia de mostrar que, numa história, os verdadeiros personagens nem sempre são os que ganham mais destaque.

Autora de "A Ridícula Ideia de Nunca Mais te Ver", Rosa lança "Nós, Mulheres", um apanhado de biografias femininas em áreas como ciências, política e artes. Há, sim, nomes ilustres como Frida Kahlo e Simone de Beauvoir, mas o foco principal está na vida de quem foi apagada por uma "história oficial e sexista", como define a autora.

"A falta de valor social da mulher faz com que ela mesma se valorize menos e com que os homens também a valorizem menos. Grande parte da violência doméstica contra a mulher e de toda a violência feminicida se deve a essa manipulação mentirosa da história", avalia a escritora.

MEMÓRIA

A historiadora e pesquisadora em ciências sociais Mary del Priore se vale de anônimas de variados períodos históricos e classes sociais para costurar "Sobreviventes e Guerreiras - Uma Breve História da Mulher no Brasil de 1500 a 2000".

Segundo ela, mesmo que as mulheres estejam no centro de todos os debates, ainda é preciso se aprofundar mais. "Há um grande desconhecimento sobre quem fomos, quais as raízes dos constrangimentos que enfrentamos, nossas histórias de sucesso e resistência e as representações que são construídas sobre nossos papéis sociais. Seja a boa mãe, a moça para casar ou a periguetes", afirma.

Quando publicou seu livro "Histórias de Mujeres", 25 anos atrás, Rosa relembra que biografias femininas não eram comuns porque havia a ideia de que poucas tinham sido importantes. "Sempre foram discriminadas", diz.


Notícias relevantes: