Cultura

TV ao vivo tem queda de audiência


Divulgação
Mesmo com números, nem todas migraram para o serviço de streaming
Crédito: Divulgação

Mesmo com o sutil crescimento de 2% no número de TVs ligadas em 2020, a TV em tempo real apresentou queda de audiência na média total do ano. Isso abrange canais pagos e abertos. Mas, segundo a Kantar Ibope, que mensura a audiência de TV no Brasil, a ascensão de um lado e a baixa, de outro, não significa necessariamente um crescimento dos serviços de streaming.

Só a partir de 2020 o instituto passou a isolar as métricas referentes à TV não linear numa faixa denominada "Conteúdo de TV/Vídeo Sem Referência". Um televisor ligado neste segmento, no entanto, pode estar ocupado com outras utilidades.

"Um aparelho não sintonizado em TV linear pode estar ocupado por streaming, pago ou não, por vídeo sob demanda, videogame, ou até um DVD", explica Melissa Vogel, CEO da Kantar Ibope no Brasil. "Tudo é contabilizado nesse segmento, até um filme do casamento do espectador", exemplifica.

"Não é possível dizer que houve aumento do streaming em detrimento da TV linear, mas houve com certeza uma mudança de hábito, com a complementação do ambiente linear pelo streaming, pago ou gratuito, e até dos próprios conteúdos televisivos, do que é oferecido como VOD (vídeo on-demand) pelos canais de TV."

Só a partir deste ano, o instituto começará a discriminar, dentro dessa faixa de conteúdo não identificado, o tamanho da plateia que cabe aos principais serviços de streaming no país, por meio de uma nova tecnologia. Mais da metade da amostra de 6.060 domicílios com TV, com concentração naqueles que têm TV conectada à internet em casa, receberão o chamado "focal meter", um aparelho que será ligado ao roteador para capturar as URLs sintonizadas na tela.

(Folhapress)


Notícias relevantes: