Cultura

ZumbiTeca ganha reconhecimento

HISTÓRICO O projeto nasceu para que cidadãos ocupassem espaços públicos


Divulgação
O ZumbiTECA foi criado em 2017 pelos servidores da Biblioteca Municipal
Crédito: Divulgação

O ZumbiTECA e a Biblioteca Municipal Prof. Nelson Foot receberam reconhecimento internacional pela Associação Mulheres pela Paz - Frauen für Frieden e V., Augsburg, Alemanha e o Universal Circle of Ambassador of Peace da França e Suíça, que certificou a Biblioteca em reconhecimento aos serviços de inclusão promovidos pelo projeto.

Criado em 2017 pelos servidores da Biblioteca, o ZumbiTECA nasceu com o objetivo de empoderar os cidadãos afrodescendentes de Jundiaí e fomentar a leitura e literatura, além de estabelecer a biblioteca como espaço de interação social e cultural, que possibilita oportunidades de educação complementar, lazer e convivência.

A Associação Mulheres pela Paz atua com projetos que promovem e incentivam a paz no mundo por meio da leitura e da arte. Anualmente, apenas três projetos em todo o mundo recebem o apoio da entidade.

A ideia de criar o ZumbiTECA nasceu da servidora Tânia Henrique, quando precisava desenvolver uma atividade diferenciada. "Como cidadã negra, atuando na biblioteca, eu percebi que não havia a presença do público afrodescente no local, fosse para busca de livros ou pesquisa, o sentimento de pertencimento da comunidade afro nesse espaço público, foi então que surgiu a ideia do projeto. Já no segundo ano, convidei meus colegas Everton Souza e depois a Michele para participarem comigo", explica Tânia.

Logo na primeira edição, o trabalho realizado abordou o Clube 28 de setembro, no segundo ano a artista Carolina Maria de Jesus, em 2019 Machado de Assis e no último ano, mesmo durante a pandemia, foram promovidas atividades virtuais temáticas em homenagem ao líder quilombola Zumbi dos Palmares.


Notícias relevantes: