Cultura

Jundiaiense faz carreira no exterior

ARTE Tiago Magro espalha amor e positividade com desenhos de corações


DIVULGAÇÃO
Tiago Magro pinta esperança colorida em telas e murais pelo mundo
Crédito: DIVULGAÇÃO

Aos 44 anos, o jundiaiense Tiago Magro construiu uma carreira bem-sucedida nas artes plásticas. Criado no bairro Vianelo, o artista foi para os Estados Unidos aos 18 anos e lá começou a desenvolver seus talentos.

Magro acredita que não se encaixava no ensino padrão quando estudava. "Eu gostava mesmo era de fazer arte, não me adaptava muito ao sistema escolar normal. Quando fui morar nos EUA, foi mais fácil entrar no mundo das artes e também criar um estilo próprio", diz.

As obras do artista são bastante coloridas, com influências da arte pop americana e arte urbana brasileira. "Construí carreira no exterior, mas sempre usando cores que despertam curiosidade do público pelo Brasil. Para mim, as cores juntas são como almas que criam uma unidade", afirma.

As telas, murais e intervenções de Magro são marcadas pelo colorido e pelos diversos corações, com e sem asas. A palavra 'amor', em português, também é marca registrada do artista.

"O coração é uma linguagem universal que traz positividade e esperança. Amar é ação, não apenas falar. Eu demonstro isso nas minhas obras para que a gente se lembre de que o amor existe, para que a gente não desista de fazer o bem", explica.

O coração com asas possui significado à parte. "Ele expressa a liberdade e a oportunidade de viver, de fazer o bem. O uso da palavra amor em português também entra nisso, porque mostra que esse sentimento que vive em mim nasceu no Brasil", ressalta.

De passagem por São Paulo para fazer uma intervenção artística em uma exposição de móveis, o artista aproveitou para voltar às origens. "Passei uns dias em Jundiaí para ver família e amigos. Gosto de voltar para vivenciar as pequenas coisas, como ir a um bar ou comer uma coxinha", diz Magro.

O artista tem uma imagem da Ponte Torta tatuada no braço. "Na infância, meu avô sempre me levava para a ponte e me falava da história de lá. Tenho muitas boas lembranças e a tatuagem é para não me esquecer de onde vim", explica.

Magro é um pedaço de Jundiaí e do Brasil que está ganhando o mundo, dono de dois ateliês nos EUA. "Por onde vou, carrego o meu país comigo. Sou casado com uma americana e tenho dois filhos, e sempre que posso mostro para eles que o Brasil tem seu valor", aponta.

 


Notícias relevantes: