Cultura

Quem são os Eternos, heróis da Marvel que salvam o mundo na ausência dos Vingadores


Divulgação
Heróis da Marvel
Crédito: Divulgação

Depois de lotar salas de cinemas, quebrar recordes de bilheteria e encerrar a história do gigante roxo genocida Thanos com "Vingadores: Ultimato", há pouco mais de dois anos, a Marvel teve um 2020 bastante parado. Foi só no ano seguinte, com o lançamento de séries no streaming e novos filmes sendo exibidos nas telonas, que as histórias de seu universo cinematográfico voltaram a ser pauta nas rodas de conversas dos fãs -e "Eternos", que estreia nesta quinta (4), deve ser o assunto principal na próxima semana.

Este é o primeiro lançamento da Marvel feito num momento em que as salas de cinema de São Paulo não têm mais limite de lotação por conta da Covid -segundo decreto publicado no Diário Oficial da Cidade do último dia 28, todas as restrições de ocupação, horário de funcionamento e distanciamento mínimo em estabelecimentos públicos e privados da capital foram revogadas.

"Eternos" também é o primeiro longa da empresa sobre um grupo de super-heróis da Marvel em mais de dois anos. No filme, o público é apresentado a uma equipe de dez seres superpoderosos que vivem na Terra há milhares de anos com o objetivo de proteger a humanidade de seres monstruosos chamados Deviantes.

O problema é que, depois de muito tempo desaparecidos, os vilões estão reaparecendo por algum motivo -com isso, os Eternos vão precisar se juntar novamente para destruí-los.

Mas onde estavam todos esses seres superpoderosos na batalha contra Thanos que dizimou metade das vidas do universo? O roteiro até tenta dar uma justificativa, que acaba soando mais como qualquer bobeira motivacional. Parece que para o universo cinematográfico da Marvel continuar fazendo algum sentido para o público, será preciso parar de tentar conectar as novas histórias com os longas antigos.

Apesar disso, a Marvel não costuma desagradar com filmes protagonizados por times. Na última vez que um grupo pouco conhecido foi apresentado ao público nos cinemas, com "Guardiões da Galáxia" (2014), o resultado foi um tremendo sucesso, rendendo até uma continuação e muitos bonequinhos do Baby Groot nas prateleiras de lojas de brinquedos.

"Eternos" foi dirigido pela chinesa Chloé Zhao, que venceu a estatueta do Oscar de melhor direção por "Nomadland" em 2021 -o longa também foi eleito o melhor filme pela premiação. Há uma certa curiosidade entre os fãs para ver como Zhao imprimiu sua linguagem em um blockbuster desse nível.

Tantos nomes estranhos, habilidades novas e dramas pessoais podem deixar o públuco confuso nas mais de duas horas e meia de filme. Para chegar ao cinema já com uma noção de quem é quem em "Eternos", veja a seguir uma breve explicação -sem spoilers- sobre os dez novos heróis.

Se for ao cinema, não se esqueça de usar máscara corretamente, higienizar sempre as mãos e de manter o distanciamento de desconhecidos, se possível.

AJAK

Além de ser a líder do grupo, é Ajak quem leva aos Eternos os recados dados por Arishem, o ser que os enviou para a Terra. No desenrolar do filme, a personagem tem dúvidas internas sobre o que deve ser feito com o poder dos Eternos. Quem vive a heroína é Salma Hayek.

DUENDE

Sem motivos aparentes, Duende é a única dos Eternos que tem corpo de criança, o que faz ela viver um conflito interno sobre até onde ir com seus interesses pessoais. Há uma tentativa de criar um arco dramático para a personagem, mas o roteiro peca por tornar sua trama piegas demais. Por outro lado, a capacidade de criar ilusões faz de Duende uma das personagens mais interessantes para as cenas de luta. Ela é interpretada por Lia McHugh

DRUIG

Com o poder de controlar mentes, Druig pode impedir qualquer tipo de conflito e até obrigar uma multidão a obedecer às suas ordens. Isso o faz questionar o real propósito dos Eternos, que são instruídos a não interferirem em batalhas travadas entre humanos. Barry Keoghan é o ator que o interpreta.

GILGAMESH

Interpretado pelo ator sul-coreano Ma Dong-seok, nos quadrinhos Gilgamesh é amigo do príncipe grego Hércules e ex-rei de Uruk, uma cidade na antiga Suméria. No filme, o herói possui superforça e forma uma amizade próxima com outro membro dos Eternos.

IKKARIS

Vivido por Richard Madden, o Robb de "Game of Thrones", Ikaris é um dos Eternos mais poderosos. No longa, ele vive um romance com Sersi, que também tem destaque na história. Para entender seu poder é só pensar no Ciclope, mutante dos X-Men -Ikaris atira raios destrutivos pelos olhos.

KINGO

Nos filmes da Marvel, parece que não pode faltar alguém que concentre todo o alívio cômico da história -o problema é que o personagem quase sempre soa forçado e perde a graça. É o caso de Kingo, um herói apaixonado por cinema que tenta gravar a jornada dos Eternos para um documentário enquanto a pancadaria acontece. Apesar de uma ou outra piadinha funcionar, Kingo torna-se entediante e repetitivo com o desenrolar da trama. É vivido por Kumail Nanjiani.

MAKKARI

Apesar de não ter muito destaque na trama, o poder de Makkari é essencial para as missões dos Eternos -como uma espécie de Flash, da rival DC Comics, a heroína tem supervelocidade. A trama acerta em não resumir a personagem de Lauren Ridloff à sua surdez, uma novidade no elenco de heróis dos filmes da Marvel.

PHASTOS

Brian Tyree Henry encarna o primeiro herói em um relacionamento homossexual em filmes da Marvel, com o poder de construir coisas e criar novas tecnologias. Apesar do arco do personagem não estar focado na sua sexualidade, a trama mostra com naturalidade a família construída por Phastos.

SERSI

Se fosse para eleger um protagonista para "Eternos", seria Sersi, vivida por Gemma Chan, que se vê com a responsabilidade de reunir o time depois de presenciar o aparecimento de novos Deviantes. Seu poder garante algumas das cenas mais bonitas do filme -Sersi pode mudar a natureza dos materiais de objetos, como na cena do trailer em que ela faz um ônibus se transformar em pétalas de flor.

THENA

Angelina Jolie dá vida à personagem, que vive um dos arcos individuais de maior intensidade na trama -o roteiro usa Thena para refletir sobre temas como memória, solidão e identidade. Apesar de algumas caras e bocas de Jolie lembrarem o que ela já fez em "Malévola", a atriz convence no papel.


Notícias relevantes: