Cultura

Abba retorna e é febre no Tiktok

APÓS 40 ANOS Com 2 bilhões de visualizações, banda sueca é hit digital


DIVULGAÇÃO
Grupo Abba retorna em formato digital após 40 anos longe dos palcos
Crédito: DIVULGAÇÃO

Vídeos com músicas do Abba somam mais de 2 bilhões de visualizações no TikTok. "Gimme! Gimme! Gimme! (A Man After Midnight)", que o Abba lançou em 1979, "Mamma Mia", "Dancing Queen", "Money, Money, Money" e "Chiquitita", entre outros sucessos do grupo sueco, estão entre as músicas preferidas dos usuários da plataforma.

O sucesso de músicas de 40 anos atrás entre os jovens é só um dos sintomas da longevidade da obra do Abba, que na última sexta-feira fez um dos mais improváveis retornos do pop em todos os tempos. O grupo, que estourou nos anos 1970 e acabou em 1982, lançou "Voyage", um disco inteiro de músicas inéditas, depois de quase quatro décadas ininterruptas de inatividade.

Com exceção dos vocais, hoje mais graves e naturalmente menos potentes que no auge da banda, o novo álbum soa exatamente como uma continuação da estética do grupo. Das guitarras cheias de eco aos sintetizadores com sabor de anos 1980, passando pelas vozes simultâneas de tom épico e a candura dos arranjos de cordas, é como se as quatro cabeças por trás do Abba tivessem ficado alheias às quatro décadas de mudanças na música pop na Europa e ao redor do mundo.

Na verdade, talvez a grande mudança de 1982 para 2021 seja a percepção em torno das músicas da banda. Formado por dois casais - Agnetha Fältskog, de 71 anos, e Björn Ulvaeus, de 76, e Benny Andersson, de 74, e Anni-Frid Lyngstad, de 75 -, o grupo acabou depois que eles se divorciaram, entre 1979 e 1981.

A verdade é que, no começo dos anos 1980, o Abba vivia a dicotomia de ser um sucesso de vendas e uma piada para parte do público e da crítica. "Na verdade, estava morto. Era muito cafona gostar de Abba", Ulvaeus disse ao jornal britânico The Guardian há pouco tempo.


Notícias relevantes: