Cultura

Bordados e outras técnicas se misturam na mostra "Iter Spirituale ", da jundiaiense Fernanda Cury

Exposição, com 52 obras, fica em cartaz até o dia 15/01 no Ateliê de Artes Alice Vilhena em Jundiaí


Divulgação
Bordados constroem narrativas sobre a espiritualidade de Fernanda
Crédito: Divulgação

“ITER SPIRITUALE”, a primeira mostra da jundiaiense Fernanda Cury, chega à sua última semana. Em cartaz até o dia 15 de janeiro, das das 13h às 19h, a exposição narra a trajetória espiritual da artista e convida o público a refletir sobre a própria espiritualidade.

Nas 52 obras expostas, Fernanda se utiliza de agulhas, linhas e tecidos para bordar experiências espirituais que alinhavam sua vida desde muito cedo. Ao bordado, se unem arames, vidros, nanquim e outros objetos para compor narrativas que levam o público também a refletir sobre a sua espiritualidade,
seu desenvolvimento pessoal, sua evolução e valores.

“Sinto esta exposição como uma missão de levar uma reflexão sobre espiritualidade para o mundo. Para que as pessoas voltem a pensar sobre valores, sobre o que importa mesmo na vida, qual é a nossa missão aqui. Como uma forma de melhorar o mundo”, conta Fernanda.

Esta é a primeira vez que a artista mostra ao público o resultado de uma caminhada que começou aos 7 anos de idade, quando sua mãe foi diagnosticada com câncer, pela primeira vez, e ela começou a acompanhá-la na busca por explicações e ou alternativas terapêuticas para conter o desenvolvimento da doença. Durante esse período, Fernanda passou por inúmeros processos e questionamentos, expressos em seu trabalho artístico, que nos mostra ainda o seu ponto de vista sobre a vivência adquirida.

Durante mais de 30 anos, e principalmente no estágio terminal da doença materna, ela transpôs para materiais simbólicos tudo o que poderia contar de sua auto formação espiritual. E, assim, recriar as experiências vividas, nas quais teve que aprender a remendar dores, costurar desafios, fazer ajustes
para seguir a vida com mais conforto e serenidade.

Entre as obras expostas no Ateliê de Artes Alice Vilhena, está Afinidades, que fala da afinidade que temos com as pessoas por meio de pensamentos, de energia, de afetividades, a quem nos ligamos.

Sobre a artista:

Nascida em Jundiaí, Fernanda Cury formou-se em Direito pela USP, fez mestrado em Direito Processual Penal, foi professora em Direito Penal pela Unip Campinas.

Cursou Design de Moda na Anhembi Morumbi, depois estudou Arte por sete anos no Ateliê da artista e professora Yolanda Bessa, onde encontrou sua técnica de artes plásticas e deu início ao Projeto Iter Spirituale, há cinco anos e meio.

 


Notícias relevantes: