Cultura

Casa Mário de Andrade lança o projeto Faces de um Brasil Contemporâneo


Divulgação
O projeto tem objetivo de valorizar a diversidade identitária brasileira
Crédito: Divulgação

O Centro de Referência do museu Casa Mário de Andrade, integrante da Rede de Museus-Casas Literários de São Paulo, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo e gerenciada pela Poiesis, lança o projeto Faces de um Brasil Contemporâneo. Nos dias 19 e 26 de janeiro, e 2 e 9 de fevereiro, quartas-feiras, das 19h às 21h, palestras contam com os convidados Márcia Kambeba, Daniel Munduruku, Tadeu Kaçula, Victor Kinjo, Bento Andreato, entre outros.

O projeto Faces de um Brasil Contemporâneo, ao longo de 2022, tem por objetivo viabilizar ações inclusivas e dedicadas a valorizar a diversidade identitária brasileira, por meio de cursos e palestras que promovam a acessibilidade de artistas e escritores vindos de grupos desprivilegiados da sociedade. Também é um caminho para apontar contrapontos e sugerir atualizações do que seria a Semana de Arte Moderna se ela fosse realizada nos dias de hoje.

No evento de lançamento, on-line pelo Zoom e com inscrição aberta até 19/01 neste link, a mediação será feita por Marcelo Tupinambá, coordenador da programação cultural da Casa Mário de Andrade. As atividades estarão divididas da seguinte forma:

- 19/01, o tema Artes e literatura indígena contará com a participação de Márcia Kambeba, indígena do povo Omágua/Kambeba, ouvidora geral da Prefeitura de Belém (PA) e escritora, e Daniel Munduruku, escritor e professor paraense, pertencente ao povo indígena Munduruku, e doutor em Educação pela USP;

- 26/01, o Patrimônio afro-brasileiro será debatido por Tadeu Kaçula, sociólogo, pesquisador e escritor, e Abilio Ferreira, jornalista e coautor de livros como o "Tebas: um negro arquiteto na São Paulo escravocrata" (2019);

- 2/02, Arte urbana e grafite como expressão artística contemporânea será o tema central da conversa entre Artur Spada, empresário e diretor do bloco carnavalesco Bateria Bem Bolada, e Bento Andreato, sócio da Andreato Comunicação e Cultura e diretor executivo do Almanaque Brasil;

- 9/02, o tema Artes, performance e cultura LGBTQIA+ reunirá Victor Kinjo, compositor, cantor e pesquisador pós-doutor no IEA-USP/ Centro de Síntese USP Cidades Globais, e Lufe Steffen, cineasta, roteirista e jornalista que vem produzindo obras ligadas ao público LGBT desde os anos 1990.

E para iniciar a parte das ações formativas, Faces de um Brasil Contemporâneo traz o curso Panorama do cinema indígena, voltado à análise das produções cinematográficas realizadas por diretores indígenas. A cada encontro, um cineasta indígena convidado (a) fará uma breve apresentação profissional, seguida da exibição de trechos de seus filmes. As aulas estão programadas para os dias 20 e 27 de janeiro, 3 e 10 de fevereiro, quintas-feiras, das 19h às 21h, pelo Zoom, e com a mediação de Cristina Flória, especializada em Gestão Cultural pelo Senac/SP, cientista social pela PUC-SP e dirigiu o documentário Piõ Höimanazé - a mulher Xavante em sua arte. A inscrição ficará aberta até 19 de janeiro.

Contemporâneo


Notícias relevantes: