Jundiaí

Dia Mundial sem Tabaco foca no meio ambiente


Divulgação
Segundo especialistas, o cigarro causa danos, inclusive ao ambiente
Crédito: Divulgação

Nesta terça-feira (31) é comemorado o dia Mundial Sem Tabaco, que neste ano, abordará o tema ‘Cigarro e Meio Ambiente’. Para celebrar, o Programa de Assistência Intensiva ao Tabagista (PAIT) receberá uma exposição de desenhos no Núcleo Integrado de Saúde (NIS). “O cigarro afeta o meio ambiente, pois temos vários problemas como, a contaminação do ar pelas substâncias tóxicas do cigarro e o descarte irregular das bitucas, que demoram cerca de cinco anos para se decompor, além de irem para os rios e mares e contaminar os animais”, comenta o coordenador do Programa de Assistência Intensiva ao Tabagista (PAIT) da Prefeitura de Jundiaí, doutor Carlos Costa.

O tabagismo é classificado como uma epidemia mundial, sendo considerado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como a principal causa de morte evitável no mundo. O câncer de pulmão é a principal doença causada pelo tabagismo, tendo cerca de 80% dos casos causados pelo uso do tabaco. No mundo, são estimadas mais de 7 milhões de mortes pelos motivos citados. No Brasil, cerca de 433 pessoas morem por dia por causa do tabagismo, este valor representa 13% das mortes que ocorrem no Brasil anualmente, de acordo com a OMS.

“O tabaco afeta não somente quem é o usuário ativo da substância como quem é passivo, que acabam por inalar as substâncias tóxicas. E o impacto não se restringe ao cigarro tradicional, como também às suas variações, como o narguilé”, completa o coordenador.

Atualmente, a moda entre os jovens é o cigarro eletrônico e o narguilé, considerado inofensivo entre usuários, porém, sendo uma porta para a entrada ao vício do cigarro comum. Essas variações também estão na lista dos principais causadores de doenças pulmonares, e até mesmo AVC. Mais de 50 doenças estão ligadas ao uso do cigarro. O uso coletivo, expõe o risco a doenças contagiosas como, herpes, hepatite C e tuberculose, assim como, infecções respiratórias, úlcera gastrintestinal, impotência sexual, infertilidade em mulheres e homens, osteoporose, catarata, entre outros.

Para enfrentar o vício e mudar o estilo de vida de quem passou anos sendo usuário do tabaco, a Prefeitura de Jundiaí conta com o PAIT, que faz parte da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS). Ao longo da existência do programa, cerca de 8 mil pessoas já tiveram auxílio para o enfrentamento à doença. Com atendimento gratuito e acompanhamento completo, inclusive, com a dispensação de medicamentos para os casos necessários, o serviço é oferecido em Unidades Básicas de Saúde e Núcleo Integrado de Saúde (NIS). Em média, o PAIT atende a 500 pessoas por ano, com taxa de sucesso de 80% na conclusão do programa.

Os encontros semanais são feitos no NIS (localizado na avenida Carlos Sales Block, 74), às 14h, às quartas-feiras. No entanto, aqueles que preferirem, podem optar pelo atendimento em alguma Unidade Básica de Saúde. Para tanto, basta entrar em contato com a sua UBS de referência e conhecer qual o local mais próximo de sua residência que oferece os grupos de atendimento PAIT. A exposição dos desenhos será realizada neste dia 31. De acordo com o coordenador do PAIT, a exposição conta com desenhos feitos por crianças de uma escola de Campo Limpo Paulista, com foco no fumo e o impacto à sociedade e ao meio ambiente.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: