Cultura

Apresentações gratuitas são aprovadas pelo público


T_cia de dança
Crédito: Reprodução/Internet
O fim de semana proporcionou momentos de diversão aos jundiaienses. Dois espetáculos marcaram os palcos do Polytheama. Protagonizados pelas Companhias de Dança e Teatro de Jundiaí. Os oito bailarinos da Cia. Jovem de Dança de Jundiaí se apresentaram, pela última vez neste ano no palco do Polytheama, na noite de sábado (24) e encantaram o público com as duas performances. O grupo mantém calendário de apresentações em escolas e eventos municipais. De acordo com o diretor de Teatro da Unidade de Gestão de Cultura (UGC), Vagner Nacarato, a Cia. tem se destacado, mesmo atuando somente há pouco mais de um ano. “O momento é especial para o grupo, que tem sido convidado para festivais em outros municípios. Percebemos o crescimento do público a cada apresentação. O trabalho da Cia. Jovem é promover a cultura para todos”, destaca. Para o coreógrafo responsável, Alex Soares, a gratuidade das apresentações no Polytheama é um diferencial para a difusão da cultura. “Estamos com pouco mais de um ano juntos e a apresentação das peças no Teatro Poly atraem o público. Além disso, nos próximos meses, oficinas serão oferecidas para a população, a partir de inscrições que serão divulgadas”, comenta. Gleice do Nascimento, moradora na Região Leste, foi sozinha ao Polytheama para acompanhar o espetáculo. “Este tipo de oportunidade é muito importante para os munícipes, por ser gratuito e proporcionar cultura para todos. Estou muito feliz por acompanhar a apresentação”, conta. á a tarde de domingo (25) foi marcada pela encenação de “Robin Hood”, da Cia. de Teatro de Jundiaí, com entrada gratuita para a população. Com a plateia lotada e 700 pessoas no espetáculo, os atores encantaram todas as idades pela qualidade da apresentação.  A família de Solange Beatriz Souza Bonfim, moradora no Caxambu, se encantou com o espetáculo. “Viemos com a família inteira. Além do Caxambu tem gente do Fazenda Grande também. É muito importante esse tipo de atividade de forma gratuita para a população. Desta forma proporciona acesso para todos. A Pietra, que é aluna das oficias de teatro, se encantou com tudo”, comenta. Mariana Fernandes Canjani, mãe de Elis Fernandes, aprova a iniciativa. “Oportunizar o acesso ao teatro é enriquecer a vida da população. Minha filha, aluna das oficinas de teatro, já havia assistido a outras apresentações, mas essa foi especial”, conta. Para o diretor do Departamento de Teatros da UGC, Wagner Nacarato, a casa cheia significa resultado do trabalho desenvolvido. “As pessoas saíram elogiando e isso é muito importante. Mostra que estamos no caminho certo, que a qualidade do espetáculo e do elenco são excelentes”, argumenta.

Notícias relevantes: