Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

“Fim da linha” reúne obras do tatuador Ricardo Colombera

SIMONE DE OLIVEIRA - scoliveira@jj.com.br | 03/03/2018 | 01:21

A partir de hoje, até o dia 4 de abril, quem passar pela Casa da Cultura, localizada dentro do Complexo Fepasa, em Jundiaí, irá se deparar com a exposição “Fim da Linha”, do artista plástico e tatuador profissional Ricardo Colombera. Aos 39 anos e com 20 de experiência na arte da pintura artística, o jundiaiense conta que esta é a primeira exposição da sua carreira, porém ela tem sido pensada desde 2015. “O processo criativo vem desde a confecção dos objetos, maquiagem dos modelos, fotografia e finalmente a pintura em óleo sobre tela. Utilizei a sucata para alguns acessórios”, comenta o artista, que é tatuador há 18 anos.

Colombera tatuador

Tatuador Ricardo Colombera. Foto: Divulgação

LEIA MAIS

Grafiteiros de Jundiaí vão além dos preconceitos sociais

Sob a curadoria de Carlos Pasqualini, a exposição terá 13 telas pintadas pelo artista, além de 20 objetos que serão apresentados ao público como complemento da exposição: tudo com entrada gratuita. Segundo Colombera, o tema “Fim da Linha” foi uma homenagem à locomotiva que existe dentro da Casa da Cultura, espaço que sedia a exposição, mas também, segundo o artista, que remete a uma época conhecida como pós-apocalíptico. “As obras criticam a devastação ambiental e social, onde numa trama elaborada por mim, todos buscam um líquido verde chamado ‘o líquido da vida’. Esse líquido será servido aos convidados na abertura da exposição”, adianta Colombera, que também é ator.

Processo
Durante estes três anos de trabalho, o artista formatou e criou cada detalhe do trabalho para que surgissem os quadros e os objetos. Muitas das pinturas foram criadas a partir de fotografias feitas com seus amigos. A criação aconteceu em seu ateliê, montado na própria casa e mistura os personagens de ficção com monumentos existentes em Jundiaí. “Demorei cerca de 12 horas na confecção dos objetos, duas horas de fotografia e mais de 20 horas realizando cada pintura, mas tenho certeza de que o público irá gostar do trabalho”, conta Colombera que é fã dos filmes “De volta para o Futuro” e “Mad Max”.

Serviço
A exposição “Fim da Linha” acontece até dia 4 de abril, das 8h às 22h., na Casa da Cultura, que fica dentro no Complexo Fepasa (avenida União dos Ferroviários, 1760).


Link original: https://www.jj.com.br/cultura/fim-da-linha-reune-obras-do-tatuador-ricardo-colombera/
Desenvolvido por CIJUN