Cultura

Helena Ranaldi vive momento especial com atuação e produção

T_cultura_sesc
Crédito: Reprodução/Internet
A atriz Helena Ranaldi vem para a cidade neste final de semana e atua em sua segunda produção da carreira no espetáculo Cordel do Amor sem Fim, que ganha os palcos do Sesc Jundiaí em duas sessões, hoje (10), às 20h, e amanhã (11), às 19h. A peça ainda conta com o ator, diretor e produtor Daniel Alvim na direção. “A vida e a esperança são duas coisas que se acabam juntas.” A frase resume o enredo, que retrata o cotidiano simples de três irmãs que vivem à margem do velho rio São Francisco e suscita temas como solidão, esperança, tempo, paixão, dor, destino, acaso, a força do feminino, e a eterna busca pela felicidade e pelo amor, questões presentes e relevantes desse mundo dito pós-moderno. Partindo de uma narrativa poética e da execução de canções originais, um narrador nos apresenta uma história de amor por meio da qual é possível captar a respiração, a leveza e a esperança que permeiam as relações entre três irmãs; Madalena (Helena Ranaldi), Carminha (Patricia Gasppar) e Tereza (Débora Gomez). No dia em que Tereza, a irmã mais nova ficará noiva de José (Luciano Gatti), todos são surpreendidos com a chegada de Antônio (Rogério Romera), que promete ocupar o lugar de José. A partir desse momento, as personagens vivem a expectativa da espera de um possível encontro entre José e Antônio, transformando assim a simples rotina e a vida de todos que vivem na pequena cidade de Carinhanha. Helena conta que o espetáculo possui textos e personagens muito bonitos e as pessoas costumam gostar facilmente. “O objetivo da peça é ir na contramão desse mundo tecnológico e instantâneo em que vivemos. Ela fala sobre amor. Todos os tipos, não só o romântico”, ressalta. Para a atriz, é um importante momento da carreira. “Esta é minha segunda produção no teatro. A primeira foi em 2017. Hoje, me sinto mais preparada. Consigo perceber e avaliar melhor como cada etapa da produção é preciosa. Desde texto, figurino, atores, luzes, cenários e tudo que envolve esse mundo do teatro”, conta. Aparentemente distante de nossa realidade e mais distante ainda de nossas referências urbanas, as personagens nos conduzem rio adentro. Por vezes ingênuas e paradoxalmente grifadas em cores marcantes, são completamente identificáveis por cada espectador na alegria de viver. “Cordel do Amor sem Fim é um suspiro de amor, um alívio para a alma do espectador”, acredita o diretor Daniel Alvim. “Em tempos difíceis de polarização, o espetáculo dá ao público a oportunidade de tentar resgatar o tempo e os verdadeiros sentidos das relações humanas”, complementa Alvim.

Notícias relevantes: