Cultura

Marcelo Airoldi encena hoje o espetáculo ‘A Queda’


T_sesc_queda3
Crédito: Reprodução/Internet
O que um homem pode fazer quando tudo que é seu está partindo? Com esta premissa, desenvolve-se a narrativa do espetáculo “A Queda”, que será apresentado no teatro do Sesc Jundiaí, neste sábado (11), às 19h, no Teatro do Sesc Jundiaí. O espetáculo é o terceiro do projeto “Trilogia Íntima” do Teatro de Perto, composto de pesquisa e criação de três solos reunindo temáticas que apontam aspectos muito íntimos do ser, tocando em segredos de espírito e simbologias que a partir do particular e individual, refletem no coletivo, no social. Nesta jornada vertical, digamos assim, a queda provoca o personagem e o público a refletirem sobre preconceitos e machismo, misturando esses temas com questões ancestrais, como a busca e questionamentos sobre religiosidade e Deus. No enredo, um homem está numa queda livre e convida a plateia a presenciar este acontecimento. Neste percurso sua única companhia, além do público, é um pássaro que tem a função de arrancar seus membros, vísceras e memória, à medida que se aprofunda na queda. Antes de perder tudo o que possui, ou tudo o que seu corpo e espírito carregam, o homem tenta elaborar os significados deste “milagre”, despedindo-se de tudo o que compõe a sua história. Seu corpo, sensações, sentimentos, religião, conceitos, começam a desaparecer. Enquanto cai, este homem se aprofunda cada vez mais em si mesmo, num mergulho seminal que o faz rever desde os princípios que o capacitaram para a vida social, até suas origens míticas, numa espécie de reação em cadeia invertida, que caminha do expandido para o mais íntimo e sutil, lhe devolvendo o encanto de lembrar-se de si e de sua civilização. O diretor Nelson Baskerville provoca: “É o homem que está caindo ou ele está parado vendo a queda da própria plateia? O importante é que nesse movimento intenso de queda, o homem assume as rédeas da sua vida e revê, ponto a ponto, todos os acontecimentos passados ou futuros. O ator Marcello Airoldi estará sozinho no palco. Um homem só. Num palco. Nos fazendo perceber que somos sós ao nascer e sós ao morrer, criando uma vertigem na plateia, que se verá obrigada a montar/editar o enorme quebra-cabeça que estará à sua frente. Airoldi afirma que “A Queda” é a trajetória de um homem simples que precisa se desfazer de tudo que não serve mais. No fundo ele está à procura de um novo ser, em busca de renovação. A peça lembra a importância da arte como ferramenta de reflexão e comunicação entre os homens.” SERVIÇO Ingressos custam R$ 5 (credencial plena); R$ 8,50 (meia); R$ 17 (inteira). O Sesc fica na avenida Antonio Frederico Ozanan, 6600. Mais informações pelo telefone (11) 4583-4900. T_sesc_queda3

Notícias relevantes: