Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Quando o mundo real vira refúgio do virtual

| 25/06/2014 | 00:10

Enquanto metade dos personagens de “Geração Brasil” tenta fazer fortuna em cima da tecnologia, um deles nada contra a corrente. Dante, sambista interpretado por Nando Cunha, tem antipatia pela modernidade ao ver o pagamento de seus direitos autorais ir embora por causa do público que baixa suas músicas ilegalmente pela rede na trama das 7 da Globo.

“Não é que ele seja contra a internet, pois ela ajuda a divulgar o trabalho e pegar outro público. Um empresário tem bens para deixar como herança. O único bem que o música tem é sua obra”, defende o ator, que tem recebido comentários de artistas sobre o papel. “Fui a um show do Zeca Pagodinho, pois conheço os músicos que tocam com ele. Eles disseram que sou a voz deles. Achei legal ouvir isso de um sambista de verdade.”

Para a novela, Nando compôs duas canções com parceiros de cantores como Maria Rita. As letras, entretanto, não entram na trilha, apenas na boca do personagem. O ator jura nunca ter baixado música na internet. “Sou analfabeto nessas paradas. Internet para mim é só para ler e-mails. Faz um tempão que não mexo no computador.”


Link original: https://www.jj.com.br/cultura/quando-o-mundo-real-vira-refugio-do-virtual/
Desenvolvido por CIJUN