Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

“Talento é bom, mas só talento não faz um bailarino”

COLABORAÇÃO DE GRAZIELLY COELHO | 25/05/2019 | 06:00

Jundiaí recebeu ontem (24) a renomada bailarina brasileira, Ana Botafogo. Pela primeira vez na cidade, ela será jurada das apresentações da Mostra Competitiva do 23° Festival Enredança que acontece neste final de semana, no Teatro Polytheama. E aproveitando sua passagem pela cidade, ministrou aula aos bailarinos jundiaienses.

Logo pela manhã, a bailarina participou de um bate-papo e aula com os oito bailarinos da Cia. Jovem de dança, corpo artístico ligado ao Teatro Polytheama. Ofereceu também dois masterclasses para mais de sessenta bailarinos, nos períodos da manhã e da tarde, onde compartilhou conhecimento, ensinou passos e verificou as qualidades técnicas de execução de cada um dos participantes.

Em entrevista exclusiva ao Jornal de Jundiaí, Ana conta que ficou encantada ao ser convidada para participar como jurada do festival. “Fiquei muito feliz com o convite, sobretudo porque eu não conhecia o Enredança, mas sabia que era um festival que foi retomado depois de alguns anos e que está crescendo. O movimento de dança é muito grande e forte. Temos muitos bons bailarinos e professores no interior”, declara.

Cinco anos após se despedir dos palcos no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, a bailarina revela que os bastidores têm sido uma nova experiência. “Tenho gostado, as coisas foram fluindo tranquilamente. Continuo dançando como convidada pelo Brasil afora. Aproveitei essa transição para estar perto da dança, que é o que eu gosto”.

Ana deixou o cargo de direção do Ballet do Theatro Municipal do Rio de Janeiro no início desse ano, e conta que, agora, seus desafios são outros. “Ser diretora de uma Companhia Estatal tem um lado muito burocrático, e eu acho que sou mais artista do que burocrata. Gosto mais desse contato com o público, com os bailarinos e poder transmitir tudo o que passaram pra mim. Agora minha missão é passar essas dicas, esse contato humano e pessoal e assim, espero, despertar vocações”.

A bailarina também se mostrou confiante e empolgada com o Enredança ao afirmar que o festival tem potencial para se tornar um dos maiores do Brasil. Além disso, Ana também deixou um conselho para os todos os bailarinos que sonham em seguir com a profissão. “Foco, disciplina e trabalho são essenciais para qualquer bailarino. Talento é bom, mas só talento não se faz um bailarino. É preciso muito trabalho”.

Programação
O Festival segue neste fim de semana em diversos pontos da cidade. Pela Mostra Competitiva, o Teatro Polytheama recebe neste sábado (25), às 19h30, apresentações do Estilo Clássico, e neste domingo (26), também às 19h30, a Noite de Gala e premiações. A programação completa das Mostras e da feira Passos e Palcos pode ser consultada no site do festival.

Com apresentações pelas Mostras Competitiva e Paralela nas mais diversas linguagens como Clássico de repertório e livre, Contemporâneo, Jazz, Street Dance, Sapateado americano, Danças Populares e estilo livre, o Festival oferece premiações em dinheiro podem ir de R$ 500 a R$ 1,5 mil para melhores bailarinas, bailarinos e grupos de cada categoria, além de melhores coreógrafos, coreografia e prêmio revelação.


Leia mais sobre
Link original: https://www.jj.com.br/cultura/talento-e-bom-mas-so-talento-nao-faz-um-bailarino/
Desenvolvido por CIJUN