Cultura

'The Supermãe' faz 50 anos e ganha livro comemorativo


T_supermae
Crédito: Reprodução/Internet
Com poderes ilimitados, vestido azul e capa vermelha Dona Clotildes, a The Supermãe, está de volta. Para comemorar os 50 anos da heroína criada pelo cartunista Ziraldo, 86, a editora Melhoramentos lança o "Almanaque 50 anos The Supermãe". A personagem surgiu, na verdade, em 1968 e foi publicada até 1984 em tiras do Jornal do Brasil e nas páginas da revista Claudia. De forma bem-humorada, Ziraldo retratava na saga de Clotildes e seu filho Carlinhos o zelo exagerado e os apelos melodramáticos tão comuns das mães. Na apresentação da obra comemorativa, o escritor e ilustrador Guto Lins conta que a Supermãe surgiu a partir da observação do cartunista sobre os seus amigos cariocas. Mineiro de Caratinga, ao se mudar para o Rio de Janeiro, ele ficou impressionado ao notar a dependência que os colegas tinham de suas mães. "Mesmo com os bons-tratos e os paparicos, aprendeu a se virar sozinho desde cedo e achava muito engraçado seus novos amigos cariocas, que tinham hora de voltar pra casa e morriam de medo da 'mamãe'", conta ele. "Ele cuidava dos irmãos, se mandara pro Rio deixando sua mãe chorosa na rodoviária de Caratinga.... e não tinha como não estranhar a falta de independência de 'marmanjos' de sua mesma idade. Segundo ele, a semente da Supermãe foi plantada após essa constatação", complementa. O próprio cartunista também se considera uma Supermãe, sempre querendo acompanhar em detalhes a vida dos filhos, saber onde eles estavam e a que horas voltariam. O almanaque, segundo a Melhoramentos, apresenta 16 anos de história da personagem, além de curiosidades, esboços e textos inéditos. "As letras das falas são quase personagens! O título das páginas de nossa heroína, por exemplo, varia de acordo com o contexto. E a riqueza dos detalhes no traço ou as expressões sutis de um olhar, de um canto de boca, de uma sobrancelha compõe fortemente a narrativa", destaca Tarcísio Vidigal, um dos organizadores da obra. "The Supermãe" foi criada pouco depois que Ziraldo fundou com outros humoristas "O Pasquim". Outro quadrinho para adultos que ele fez foi o "Mineirinho - o Comequieto". Em 1969, publicou o seu primeiro livro infantil, "Flicts". A partir de 1979, dedicou-se à produção de livros para crianças e, em 1980, lançou "O Menino Maluquinho", seu grande sucesso, que já foi adaptado para teatro, quadrinhos, ópera infantil, videogame, internet e cinema.

Notícias relevantes: