Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Jundiaí deve ganhar quatro novos supermercados neste ano

Niza Souza . csouza@jj.com.br | 20/01/2018 | 10:04

[vc_row][vc_column][vc_column_text]Com crescimento acima da média do Estado de São Paulo em 2017, Jundiaí deve continuar atraindo investimentos do setor de supermercados neste ano. A Unidade de Gestão de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, da Prefeitura, confirma que, atualmente, existe a previsão de construção de quatro novos supermercados na cidade, sendo três de redes já presentes e uma marca nova vindo de outro município.

SETOR EM ALTA Grandes redes de supermercados chegaram na cidade no ano passado, criando novas vagas de emprego (Foto: Fabiano Maia)

SETOR EM ALTA Grandes redes de supermercados chegaram na cidade no ano passado, criando novas vagas de emprego (Foto: Fabiano Maia)

Há especulação de que a cidade deve ganhar uma unidade da rede Walmart. Questionada se a empresa tem projeto para investir em Jundiaí, a assessoria de imprensa da marca informou apenas que por enquanto “não tem essa informação”.

O setor supermercadista teve crescimento significativo em Jundiaí no ano passado. Dados da Associação Paulista de Supermercados (Apas) mostram que a chegada de grandes redes de super e hipermercados na cidade gerou um saldo de 474 empregos em 2017. Em 2016, o saldo foi negativo no setor, com perda de 50 vagas.

Economista da Apas, Thiago Berka destaca que dos 47 investimentos feitos na região administrativa de Campinas, Jundiaí ficou em segundo lugar com 11, atrás apenas de Campinas, com 14, e muito à frente de Piracicaba, que recebeu 5. “Com o sétimo maior PIB do Estado de São Paulo, Jundiaí observou uma série de investimentos no setor de varejo em 2017. Dentre estes, vários supermercados de marcas importantes foram abertos”, destaca.

Na avaliação de Berka, os investimentos do setor devem continuar em ritmo parecido neste ano, dependendo da reação da indústria da cidade para gerar um efeito de renda nas famílias da cidade. “Jundiaí será fortemente beneficiada com o aumento de empregos e renda industrial, pois para os supermercados de médio e grande portes dois fatores são muito importantes: renda disponível e escala da população”, explica.

Segundo ele, Jundiaí tem uma alta proporção de população urbana o que beneficia também os minimercados e supermercados de proximidade. “Com uma economia dinâmica que pulou da décima para a sétima posição em riqueza no Estado, o setor supermercadista observa a cidade como um importante pólo de expansão de atividades, gerando mais empregos e impostos para o município”, frisa o economista.

Os dados da Apas também mostram que as “lojas de vizinhança”, conhecidas como minimercados, apesar de tímida, tiveram abertura de vagas em 2017, dentre os 114 estabelecimentos instalados em Jundiaí. Foram 212 admissões e 196 desligamentos, o que resultou em um saldo de apenas 16 contratações no ano.

Para o presidente do Sincomercio Jundiaí e Região, Edison Maltoni, a instalação das grandes redes gerou bastante emprego no município e isso é motivo para celebrar, principalmente numa época em que a economia vem se recuperando.

Em relação aos minimercados, Maltoni destaca que esses estabelecimentos ainda têm potencial de crescimento e de criar mais vagas. “Muita gente aprecia os mercados de bairros e alguns já vêm se destacando ao inovar e oferecer produtos de muita qualidade, que às vezes não encontramos nos supermercados e hipermercados. É uma boa hora de reagir e investir em diferenciais para atrair o consumidor”, avalia.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]


Link original: https://www.jj.com.br/economia/1928/
Desenvolvido por CIJUN