Economia

País gera mais de 313 mil vagas com carteira assinada em setembro, aponta Caged

No acumulado de janeiro a setembro, o saldo ainda é negativo, com o desligamento de 558.597 trabalhadores


ABR
Estoque de empregos encerrou 2019 no maior nível em quatro anos
Crédito: ABR
Foram criadas 313.564 vagas com carteira assinada no país em setembro. Esse é o melhor resultado mensal neste ano.
Apesar da recente retomada da geração de postos de trabalho, no acumulado de janeiro a setembro, o saldo ainda é negativo, com o desligamento de 558.597 trabalhadores, sendo que no mesmo período do ano anterior foram gerados 761.776 novos empregos com carteira assinada.
O mercado de trabalho brasileiro apresenta, desde julho, uma recuperação após o fechamento de vagas no começo da crise do coronavírus - 1,2 milhão de vagas desapareceram nos seis primeiros meses de 2020.
Setembro foi o terceiro mês consecutivo de saldo positivo.
Os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), apresentados nesta quinta-feira (29) pelo Ministério da Economia, mostram que, em setembro, o país teve 1,379 milhão de contratações formais e 1,065 milhão desligamentos.
Todos os setores da economia brasileira registraram criação de vagas em setembro. O resultado foi puxado pela indústria, com a abertura de 110.868 vagas. Em seguida, figuram serviços (80.481), comércio (69.239), construção (45.249) e agricultura (7.751).
Tradicionalmente, o período entre agosto e outubro concentra a maior parte de contratações de temporários nas fábricas para produzir as demandas das festas de fim de ano. Depois, principalmente em dezembro, o resultado costuma ser negativo devido à dispensa desses trabalhadores.

Notícias relevantes: