Economia

Governos de SP e Bahia buscam alternativa ao fechamento da Ford

São Paulo criou força-tarefa para tratar dos impactos do fechamento em Taubaté


Ford encerra sua produção no Brasil
Crédito: Reprodução/Internet
O governo de São Paulo criou uma força-tarefa para tratar dos impactos do fechamento da fábrica da Ford em Taubaté, município na região do Vale do Paraíba, em São Paulo. Serão duas frentes: uma para atender os metalúrgicos, outra para buscar investidores interessados na fábrica.
A secretária de Desenvolvimento Econômico do estado, Patricia Ellen, disse à reportagem que se reunirá na terça (12) com o prefeito de Taubaté, João Saud (MDB), para definir um plano de mitigação dos efeitos do fechamento da fábrica para a cidade.
Na Bahia, onde o fechamento da fábrica de Camaçari deve ser imediato, o governador Rui Costa (PT) anunciou a criação de um grupo de trabalho para atrair uma nova montadora para o estado.
Em São Paulo, a força-tarefa, segundo Patricia Ellen, incluirá ainda a Secretaria de Desenvolvimento Regional, o Investe SP (agência de fomento do governo do estado), centrais sindicais e associações representativas.
?O prefeito [de Taubaté] virá pessoalmente para criarmos um plano de mitigação do impacto para os trabalho?, diz Ellen. ?Essa força-tarefa deverá ter ações tipicamente de recolocação de trabalhadores, como cursos de qualificação.?
A fábrica da Ford em Taubaté tem cerca de 830 funcionários que produzem motores e transmissões. A unidade ainda não será imediatamente desativada. Segundo o comunicado da montadora, isso ocorrerá ao longo deste ano.
Patricia Ellen diz que, junto da Investe SP, a gestão estadual quer articular uma ?destinação que permita o impulsionamento econômico da região.?
A notícia de que a Ford fecharia todas as fábricas no Brasil chegou ao governo de São Paulo por meio de uma conferência telefônica com o presidente da Ford América do Sul, Lyle Watters.
?Nós lamentamos, obviamente, mas [a decisão] vem de uma série de notícias da reestruturação global que a Ford está fazendo?, afirma.
Ellen destacou que a montadora ainda manterá cerca de 1.400 funcionários no Brasil, metade dos quais em São Paulo. Em Tatuí, a empresa manterá o campo de provas. A unidade administrativa, que funcionava em São Bernardo do Campo, foi transferida para a capital depois do fechamento da fábrica do ABC paulista.
Mais cedo, o governador João Doria (PSDB) disse, por meio do Twitter, lamentar a decisão da Ford.
Em nota, o governador da Bahia, Rui Costa (PT), disse já ter iniciado articulações para atrair investimentos para a fábrica.
"Não vamos ficar parados. Já entrei em contato com embaixadas de outros países, especialmente asiáticos, para efetivar o convite para que indústrias automotivas venham visitar nosso parque e conhecer nossa infraestrutura", afirmou.

Notícias relevantes: